Os ministros africanos do Comércio presentes em Genebra manifestaram sua impaciência por terem sido deixados de fora das negociações da OMC, enquanto os ministros de sete grandes potências comerciais prosseguem suas discussões a portas fechadas nesta sexta-feira.

"Viemos aqui convencidos de que isso ajudaria nosso continente e nos tiraria de nossa pobreza por podermos participar do comércio mundial", declarou à imprensa o ministro do Quênia, Uhuru Kenyatta, falando em nome do grupo africano.

"Chegamos há sete dias e estamos profundamente decepcionados porque as negociações estão focadas no Grupo dos 7", continuou, referindo-se aos grupo das sete potências (UE, Estados Unidos, China, Japão, Brasil, Índia e Austrália). O G7 está reunido hoj novamente a portas fechadas para tentar chegar a um acordo.

Para o ministro do Comércio de Burkina Faso, Mamadou Sanou, "se fossemos tirar uma lição de Genebra, seria a falta de transparência das organizações internacionais".

"Por que este G7 se estamos numa organização multilateral?", indagou. "Precisamos questionar o funcionamento das organizações internacionais. Não há democracia nem transparência suficientes", acrescentou.

ama/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.