SÃO PAULO - A distribuidora de medicamentos Profarma encerrou 2008 com lucro líquido de R$ 31,64 milhões, o que representa uma queda de 32,7% em relação a 2007, quando o ganho somou R$ 47 milhões. O agravamento da crise financeira obrigou muitas empresas do setor a conceder descontos a seus clientes, o que acabou afetando o desempenho anual da Profarma.

Diante deste quadro, a companhia viu cair em 61,4% o seu lucro líquido referente ao quarto trimestre do ano passado, para R$ 6,53 milhões.

Com relação à receita líquida, a Profarma contabilizou em 2008 a cifra de R$ 2,53 bilhões, um crescimento de 11,7%, também na comparação anual. Quase no mesmo ritmo, o custo das mercadorias vendidas avançou 12,8%, para R$ 2,31 bilhões. Já as despesas operacionais avançaram menos, 5,36%, fechando o exercício em R$ 147,4 milhões.

Essa relação ajudou a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações), que cresceu 1,9%, para R$ 78,7 milhões.

Já o resultado das operações financeiras prejudicou a Profarma. Ficou negativo em R$ 32,8 milhões no ano passado, uma piora de 79% ante 2007, quando a perda contabilizada foi de R$ 18,3 milhões.

(Murillo Camarotto | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.