Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Advent compra a rede gaúcha Quero-Quero

A Advent, gestora de fundos de private equity (que compram participação em empresas), anunciou ontem sua maior aquisição no País. Após dez meses de negociações, assumiu o controle da rede gaúcha de varejo de eletroeletrônicos e material de construção Quero-Quero, com 170 lojas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Agência Estado |

A operação é avaliada em cerca de US$ 300 milhões. A Advent não disputou com ninguém o negócio.

Até então, o maior investimento do fundo no Brasil havia sido de US$ 250 milhões, com a compra da Dufry South America, em março de 2006. A Quero-Quero, fundada em 1967 na fronteira com a Argentina como uma empresa de produtos agropecuários, criou um modelo de negócios raro no varejo brasileiro - há registros de uma outra semelhante no Espírito Santo, a Dadalto. Além da atividade de varejo, que é mais forte em material de construção, a rede tem uma financeira e uma empresa de cartão de crédito (VerdeCard) com 2 milhões de usuários. A compra da financeira está sujeita à aprovação do Banco Central.

A VerdeCard não é muito diferente da HiperCard, bandeira de cartão de crédito criada pela rede pernambucana Bompreço (hoje do Wal-Mart) e também aceita em outros estabelecimentos. "A base de cartões da VerdeCard é maior que a da Visa e da MasterCard no Rio Grande do Sul. O cartão é aceito em 20 mil pontos-de-venda", diz Luiz Antonio Alves, diretor da Advent. Embora represente 20% do faturamento do grupo, que neste ano deve alcançar R$ 700 milhões, as duas empresas financeiras são responsáveis pela maior parte da margem de lucro.

De acordo com levantamento da consultoria Gouvêa de Souza & MD, o varejo de material de construção movimentou cerca de R$ 60 bilhões no ano passado. As quatro maiores redes (C&C, Leroy Merlin, Telhanorte e Dicico) são responsáveis por apenas 5,4% do mercado. A Quero-Quero deve estar entre as 10 maiores em faturamento.

"Esse é um mercado muito fragmentado, em que é possível consolidar e crescer muito", diz Alves. Segundo o executivo, o plano da Advent é inaugurar 200 lojas nos próximos quatro anos em cidades pequenas e médias na região Sul e fazer aquisições de outras redes de varejo de material de construção.

A marca Quero-Quero - que é nome de pássaro e símbolo do Rio Grande do Sul - e o perfil das lojas, com um tamanho médio de mil metros quadrados, serão mantidos. As grandes redes desse segmento têm espaços bem maiores. "A Quero-Quero é uma empresa bem regional, com um mix difícil de achar. Seus controladores eram muito preocupados com a gestão", diz o diretor da consultoria Alvarez & Marsal, Eduardo Seixas. No início das negociações, a rede cogitava abrir o capital. Chegou até à fase de contratação de bancos, mas viu que o momento não era oportuno. "É um passo grande que a Advent está dando. O potencial de crescimento é grande. O fundo entra, dá um choque de gestão e rapidamente pode dobrar o tamanho e a rentabilidade da empresa."

Em 11 anos, a Advent já comprou participação em mais de 35 empresas. O varejo tem sido um de seus focos - a compra mais recente foi a rede de restaurantes Viena. Nos próximos seis meses, a Advent deve anunciar outra aquisição na área. O fundo também estuda investir em energia e educação.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG