O número dois do equipamento esportivo, o alemão Adidas, vai transferir uma parte de sua produção na China para outros países mas competitivos por considerar muito elevado o atual nível dos salários nesse país asiático, anunciou seu presidente em uma entrevista publicada nesta segunda-feira.

"Os salários, que estão fixados pelo governo, são progressivamente muito elevados na China", afirmou Herbert Hainer à revista Wirtschaftswoche.

Em função disso, o patrão da Adidas anunciou que já foi aberta uma primeira fábrica na Índia e que a produção passará também para países como Laos, Camboja, Vietnã e outros da ex-URSS e da Europa Oriental, menos a Alemanha.

mtr/mcd/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.