mentira viciosa (campanha McCain) - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Acusação de adultério contra Palin: uma mentira viciosa (campanha McCain)

A equipe de campanha do candidato republicano à Presidência, John McCain, ameaçou nesta quinta-feira processar um tablóide sensacionalista por publicar a mentira viciosa de que sua candidata à vice-presidência, Sarah Palin, traiu seu marido.

AFP |

O tablóide National Enquirer é geralmente ignorado por se basear em rumores, mas ganhou credibilidade há algumas semanas quando veiculou a notícia de uma aventura amorosa do ex-candidato democrata John Edward.

A informação foi publicada depois da revelação de que Bristol Palin, filha de 17 anos da governadora do Alasca, está grávida de cinco meses, planeja ficar com o bebê e se casar com o pai.

A equipe de campanha de Palin disse ter sido forçada a revelar a gravidez da jovem em resposta a falsas informações de blogs. Estes indicavam que o filho de quatro meses de Sarah Palin era na realidade filho de Bristol.

O assessor de McCain, Steve Schmidt, descartou as acusações de uma aventura entre Palin e o sócio de seu marido classificando-as de "categoricamente falsas".

"É uma mentira viciosa", disse Schmidt à rede CBS News.

"As difamações à família Palin têm que parar", acrescentou Schmidt. "Os esforços dos meios de comunicação e de tablóides para destruir essa boa e talentosa servidora pública são uma vergonha. O povo norte-americano deve rechaçá-los", disse o assessor.

A história do National Enquirer se baseia totalmente em fontes anônimas e o tablóide é conhecido por pagar as suas fontes em troca de informação, algo considerado pouco ético pela maioria dos profissionais da imprensa.

"O senador McCain e a governadora Palin desejam discutir os temas que preocupam os norte-americanos, arrumar um governo descomposto, criar empregos, tornar independente a energia de nosso país e garantir a paz para a próxima geração, levando as guerras do Iraque e do Afeganistão a um final vitorioso", afirmou Schmidt.

"Serão consideradas ações legais em relação a essa calúnia vergonhosa", acrescentou.

Na tarde desta quinta-feira, McCain aceitará oficialmente sua indicação como candidato presidencial republicano às eleições de novembro.

mso/dm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG