Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Acordo com União Europeia pode elevar exportações da Del Monte

GENEBRA - A multinacional Del Monte, maior produtora mundial de banana, com receita de US$ 3,5 bilhões em 2009, diz estar preparada para quadruplicar sua exportação de banana a partir do Brasil se o acordo de livre comércio Mercosul-União Europeia (UE) for concluído em breve. Newton Assunção, diretor de relações institucionais da companhia americana no Brasil, considera o acordo essencial também por causa da queda do dólar, que afeta as exportações.

Valor Online |

GENEBRA - A multinacional Del Monte, maior produtora mundial de banana, com receita de US$ 3,5 bilhões em 2009, diz estar preparada para quadruplicar sua exportação de banana a partir do Brasil se o acordo de livre comércio Mercosul-União Europeia (UE) for concluído em breve. Newton Assunção, diretor de relações institucionais da companhia americana no Brasil, considera o acordo essencial também por causa da queda do dólar, que afeta as exportações. Negociadores do Mercosul e da UE voltarão a se reunir em Bruxelas na última semana do mês, quando ficará claro se a negociação será retomada em Madri, em maio, com o objetivo de concluí-la rapidamente. Para a Del Monte, a possível obtenção de uma cota de 120 mil toneladas de banana, com tarifa menor, dá competitividade ao Brasil em relação a outros produtores da América Central - hoje esses países vendem sem tarifa no mercado europeu. Outra vantagem é que a banana do Brasil demora de 9 a 11 dias de navio para chegar à Europa, enquanto a da América Central leva até 16 dias. O Brasil exportou 110 mil toneladas de banana em 2009, metade para a UE apesar da tarifa de 176 euros por tonelada. No caso de um acordo, a queda tarifária dará vantagem de 3 euros por caixa de banana para a empresa. A múlti tem cinco mil hectares livres para produzir frutas no Ceará. No momento só produz banana em 255 hectares. Se um acordo for concluído, rapidamente 250 hectares serão cultivados, com investimentos de R$ 10 milhões, segundo o executivo da Del Monte."Esse acordo é ainda mais importante para nós porque, desde que começou a negociação, os produtores foram perdendo vantagem para exportar", disse. Além do câmbio, o salário mínimo era de R$ 290 e hoje está em R$ 510. Outra fruta que a empresa quer exportar mais, a partir de um acordo birregional, é o melão. (Assis Moreira | Valor)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG