Por Marcel Michelson e Hendrik Sackmann PARIS/STUTTGART (Reuters) - As ações da Renault e da Daimler subiram nesta terça-feira, impulsionadas por notícias sobre uma possível aliança acionária, à medida que as montadoras tentam lidar com a recessão global na indústria.

A francesa Renault e a alemã Daimler, fabricante dos carros Mercedes, não tem feito segredo sobre conversações entre ambas sobre cooperação para cortar custos, reunir recursos para investimentos em tecnologia e na busca por maior escala.

A Renault-Nissan não possui uma marca de luxo, apesar de tentativas feitas com alguns modelos, enquanto a Mercedes busca veículos menores além do Classe A e do Smart, da Daimler.

O analista Max Warburton, da Sandford Bernstein, disse em relatório acreditar que as empresas estão discutindo uma ampla e formal cooperação em produtos e tecnologia.

O jornal Financial Times publicou matéria em edição desta terça-feira afirmando que ambas as companhias estão negociando a troca de participações entre elas para selar um pacto de longo prazo, citando duas fontes não identificadas.

As ações da Daimler subiram 2,34 por cento e as da Renault avançaram 2,26 por cento.

Questionado sobre as notícias a respeito da aliança, o presidente-executivo da Renault, Carlos Ghosn, que também comanda a Nissan, afirmou apenas que está aberto a parcerias.

"Estamos conversando com muitas empresas, muitos parceiros, mas não quero comentar nada sobre algo que não está absolutamente decidido ou que não é objeto de qualquer decisão", disse o executivo em um evento da empresa na Índia.

"Sei que há muitas especulações sobre isso...e pode não acontecer nada e aí vai haver decepção. Então, vamos deixar do jeito que está", acrescentou.

Perguntado especificamente se estaria aberto a alianças acionárias, Ghosn respondeu que a troca de ações não deve ser uma via de mão única. "Estamos abertos a troca de ações... É uma maneira de solidificar a cooperação entre os parceiros."

O executivo também comentou que a Renault-Nissan está conversando com a indiana Ashok Leyland sobre um projeto de um novo carro de passageiros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.