Tamanho do texto

BRASÍLIA - O presidente da Norte Energia S.A.

, Carlos Nascimento, afirmou hoje que os acionistas do grupo vão fazer um aporte de aproximadamente R$ 560 milhões até o fim deste ano para a hidrelétrica Belo Monte, no rio Xingu (PA). Segundo ele, serão destinados R$ 260 milhões para a conclusão de estudos preliminares e R$ 300 milhões para o início da construção do canteiro de obras. Dentro do conjunto de análises conclusivas a serem feitas sobre Belo Monte, estão os estudos topográficos e geológicos. Os investimentos serão feitos de imediato, a partir de hoje com a assinatura do contrato de concessão feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Quanto aos recursos para as obras civis que vão anteceder o início da construção da usina, a aplicação será feita somente após a liberação do licenciamento específico para esta etapa do empreendimento, ou seja, antes mesmo da emissão da licença de instalação que garante aos empreendedores o início da construção da usina. Nascimento reiterou as expectativas da Eletrobras de iniciar as obras do canteiro de obras antes do período chuvoso na região Norte. "A licença ambiental, assim como as obras do canteiro deverão sair ainda este ano", afirmou Nascimento ao fim da cerimônia de assinatura do contrato de concessão para construir e operar Belo Monte por 35 anos. O objetivo da Eletrobras é antecipar a operação da usina em, pelo menos, seis meses para ampliar - e começar o quanto antes - a obtenção do retorno financeiro do empreendimento. O grupo empresarial Norte Energia tem em sua composição 18 empresas. Entre elas, há a participação majoritária do grupo Eletrobras, com 49,98%, sendo a holding com 15%, a Chesf com outros 15% e a Eletronorte com 19,98. O restante da composição societária é formado pelos sócios privados, que incluem outras empresas do setor de energia, fundos de pensão e investimento, construtoras e empresas que geram energia para consumo próprio (autoprodutoras). São elas: Bolzano (10% de participação), Petros (10%), Gaia Energia e Participações (9%), Caixa FIP Cevix (5%), OAS (2,51%), Queiroz Galvão (2,51%), Funcef (2,5%), Cetenco Engenharia (1,25%), Contern Construção e Comércio (1,25%), Galvão Engenharia (1,25%), Mendes Júnior Trading e Engenharia (1,25%), Serveng Civilsan (1,25%), J. Malucelli Construtora de Obras (1%), Sinobras (1%) e J. Malucelli Energia (0,25) (Rafael Bitencourt | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.