SÃO PAULO - Em assembléia realizada hoje, os acionistas da Vivo aprovaram a proposta feita pela administração de agrupar as ações da companhia na proporção de 4 para 1. Com tal medida, a empresa pretende conferir melhor patamar de preço para os papéis e reduzir custos operacionais.

Com a aprovação do grupamento, os acionistas da Vivo têm até o dia 13 de outubro para ajustar suas posições acionárias em lotes múltiplos de 4 ações por meio de negociação na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), pois a partir de 14 de outubro as ações passarão a ser negociadas exclusivamente agrupadas.

Na assembléia também ficou acertado que a partir de 27 de outubro, as frações serão agrupadas em números inteiros e vendidas em sucessivos leilões.

A mesma proporção de agrupamento vale para os American Depositary Receipts (ADR) que são negociados na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE na sigla em inglês).

Atualmente, o capital social da companhia é composto por 1.474.077.420 ações, sendo 536.601.378 papéis ON e 937.476.042 papéis PN. Após o grupamento, o capital social passará a ser representado por 368.519.356 ações, sendo 134.150.345 ações ON e 234.369.011 ações PN.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.