Um casal de espanhóis e um homem que escaparam da catástrofe aérea quarta-feira no aeroporto de Madri (153 mortos), os primeiros por terem chegado três minutos atrasados e o segundo por ter sido impedido de embarcar por overbooking, falaram nesta quinta-feira à imprensa espanhola.

Hector, que ia viajar com sua namorada, explicou ao canal espanhol TVE que o pessoal de terra disse a eles que o check-in para o vôo JK 5022 da Spanair para Las Palmas (Canárias) tinha acabado de ser encerrado.

"Foi um outro aniversário para nós", declarou à TVE. "Por três minutos de atraso, não conseguimos embarcar. É sorte", acrescentou.

O casal passou a madrugada de quarta para quinta-feira em Madri e deveria embarcar para as Canárias na próxima quinta-feira à tarde.

Um outro passageiro potencial, Rafael, confiou por sua vez às mídias espanholas que ele chegou no último minuto do check-in, mas não tinha mais lugar pra ele no avião.

Na espera do vôo seguinte para Las Palmas, Rafael recebeu um telefonema de seu irmão, dizendo que o avião que ele deveria pegar tinha sofrido um acidente.

"No início, eu não acreditei no meu irmão porque não tinha nada acontecendo de especial no aeroporto", declarou.

A Espanha assistiu ontem ao maior acidente aéreo dos últimos 25 anos, quando um avião da companhia Spanair sofreu acidente na decolagem no aeroporto de Madri, matando 153 pessoas e deixando 19 feridos.

A Aeronave MD-82 do vôo JK 5022, com 172 pessoas a bordo, decolava com destino a Las Palmas, no arquipélago das Canárias, no Oceano Atlântico.

ds/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.