A oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Mills Estruturas e Serviços de Engenharia movimentou R$ 685,740 milhões, de acordo com dados encaminhados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O valor por ação foi definido em R$ 11,50, no piso da faixa indicativa - que variava entre R$ 11,50 e R$ 15,50 por ação.

A oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Mills Estruturas e Serviços de Engenharia movimentou R$ 685,740 milhões, de acordo com dados encaminhados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O valor por ação foi definido em R$ 11,50, no piso da faixa indicativa - que variava entre R$ 11,50 e R$ 15,50 por ação.

A Mills pretendia inicialmente emitir 37,037 milhões de ações ordinárias em uma oferta primária, cujos recursos irão para o caixa da companhia, e vender outros 14,814 milhões de papéis que pertencem aos sócios. Além do lote principal, foram registradas 7,777 milhões de ações do lote suplementar, que se não for exercido no prazo de 30 dias reduzirá o valor final da operação para R$ 596,296 milhões.

A empresa pretende usar os recursos captados com a emissão de ações em aquisições estratégicas e compras de equipamentos. O Itaú BBA é o coordenador líder da oferta, que também conta com a participação dos bancos BTG Pactual e Goldman Sachs. A estreia das ações da Mills no pregão da BM&FBovespa está previsto para esta sexta-feira, com o código MILS3.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.