A produção brasileira de produtos químicos de uso industrial encerrou o primeiro semestre de 2008 com retração de 5,96% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados preliminares. Assim como informado em meses anteriores, a razão para a queda são as paradas para manutenção das duas centrais petroquímicas da Braskem, uma localizada na Bahia e outra no Rio Grande do Sul.

A taxa preliminar de utilização da capacidade em junho ficou em 77%, abaixo da marca de 82% do mês anterior e no menor nível do ano. A retração, segundo a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), pode ser explicada pelos impactos da parada para manutenção da unidade da Braskem em Camaçari.

Apesar da redução da produção doméstica, o indicador que mede o nível de pessoal ocupado fechou o semestre com alta de 1,09%. A massa salarial por empregado subiu 3,45% no mesmo período, em relação a igual período de 2007.

Vendas

Por outro lado, o indicador que mede o nível de vendas de produtos químicos de uso industrial no mercado doméstico apresentou forte elevação em junho, de 6,45%, em relação a igual período do ano passado. O resultado, preliminar, interrompeu uma seqüência de retrações, mas não foi suficiente para levar o indicador semestral ao campo positivo. No acumulado dos seis primeiros meses de 2008, as vendas de produtos químicos no mercado interno registraram queda de 1,43% sobre o mesmo período do ano passado.

Apesar da retração das vendas no acumulado semestral, o consumo aparente nacional no período apresentou alta de 1,58%, impulsionado principalmente pelo crescimento das importações, que totalizaram US$ 15,6 bilhões no período. Com o aumento do consumo, aliado ao impacto da elevação dos preços do petróleo, os preços dos produtos químicos de uso industrial fecharam o semestre em alta de 10,32% sobre o mesmo período de 2007.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.