O setor de máquinas e equipamentos encerrou 2008 com faturamento nominal recorde de R$ 78 bilhões, o que significa crescimento de 26,7% sobre 2007, segundo dados divulgados hoje pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). O presidente da entidade, Luiz Aubert Neto, ressalta que, apesar do resultado anual positivo, no quarto trimestre houve queda de 9,9% em relação ao terceiro trimestre devido aos efeitos da crise financeira internacional.

Entre os segmentos que apresentaram melhor desempenho no ano estão máquinas e implementos agrícolas, que encerrou o exercício com aumento de 42,5% no faturamento, seguido de mecânica pesada, com alta de 40,2%, e bombas e motobombas, com expansão de 40%. Quando comparado o resultado do quarto trimestre com o imediatamente anterior, os dois primeiros segmentos registraram queda de 28,8% e 6,6%, respectivamente, enquanto bombas e motobombas cresceu 5,7%.

Sondagem realizada pela Abimaq com associados constatou que o ritmo de encomendas caiu 39% em janeiro na comparação com o mês setembro, quando a concordata do banco norte-americano Lehman Brothers acirrou a crise financeira internacional. A mesma pesquisa revelou que o setor prevê uma queda de 19% nas vendas no primeiro trimestre do ano ante o quarto trimestre de 2008.

Ajuda

Para reverter o cenário identificado no levantamento, a Abimaq encaminhou uma série de sugestões ao governo federal. "São todas no sentido de dar fôlego financeiro para as empresas, já que a maior dificuldade é a falta de crédito", disse Luiz Aubert Neto, presidente da entidade. Entre as sugestões feitas está a redução da taxa Selic para um dígito (contra os 12,75% atuais) e a desoneração total dos investimentos no Brasil.

A Abimaq também sugere o aumento do limite de crédito do cartão BNDES, de R$ 250 mil para R$ 500 mil, além da possibilidade de utilizar esse crédito para capital de giro - hoje os recursos são usados apenas para compra de máquinas.

A associação também solicita ao governo o diferimento parcial do recolhimento dos encargos sociais e trabalhistas durante os próximos seis meses. Segundo a entidade, o débito acumulado nesse período seria pago em 24 meses sem juro.

Investimentos

Os investimentos realizados pela indústria brasileira de máquinas e equipamentos no ano passado totalizaram R$ 7,1 bilhões, o que representa uma queda de 9,8% ante 2007, segundo dados divulgados pela Abimaq. A entidade destaca que 65,5% do total aplicado (R$ 4,6 bilhões) foram destinados para a compra de máquinas e equipamentos.

A pesquisa realizada pela Abimaq com associados indica uma expectativa de retração nos investimentos para 2009. O volume total previsto para o ano é de R$ 6,9 bilhões (sendo R$ 5,1 bilhões para compra de máquinas e equipamentos), o que representa queda de 2,9% em relação a 2008. O resultado da intenção de investimento dos fabricantes já leva em consideração a atual conjuntura, de aumento do custo e dificuldade para o crédito, além da perspectiva de redução da demanda mundial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.