A recuperação do segmento industrial segue impulsionando a retomada das vendas de gás natural no Brasil

A recuperação do segmento industrial segue impulsionando a retomada das vendas de gás natural no Brasil. Dados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostram que o consumo do produto cresceu 6,3% em maio de 2010, ante igual mês de 2009, para 44,19 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d). Excluída a demanda de gás para geração elétrica, o consumo no mercado não térmico (residências, comércio, indústrias, setor automotivo, entre outros) cresceu 15,4%, para 35,90 milhões de m³/d. Na comparação entre abril e maio deste ano, a expansão no mercado total foi de 10%.

O segmento que mais cresceu foi o industrial, seguindo tendência verificada ao longo deste ano. Segundo os dados da Abegás, o consumo industrial em maio de 2010 ante igual mês de 2009 cresceu 22,09%, para 25,56 milhões de m³/d. O forte aumento reflete a retomada da atividade econômica e uma base de comparação mais fraca, uma vez que o primeiro semestre de 2009 foi afetado negativamente pela crise econômica. A demanda de gás para cogeração (que também inclui as indústrias) cresceu 8,2% no período, para 2,71 milhões de m³/d.

Na classe residencial, o aumento do consumo foi de 6,7% em maio de 2010 ante igual mês de 2009, para 831,6 mil m³/d. As distribuidoras também registraram comportamento positivo nas vendas de gás para o segmento comercial, cuja demanda cresceu 6,2% no período, para 633,2 mil m³/d. A comercialização de gás natural veicular (GNV), por sua vez, continua apresentando desempenho negativo. As vendas de gás no segmento automotivo recuaram 1,15%, para 5,62 milhões de m³/d, refletindo a menor competitividade do produto em relação ao etanol.

O consumo de gás natural para geração de energia elétrica recuou 20,7% no período, para 8,29 milhões de m³/d. Apesar da queda na comparação com maio de 2009, o volume apurado em maio de 2010 é 105% superior aos 4,04 milhões de m³/d demandados em abril deste ano. Isso reflete o maior despacho das térmicas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para poupar o nível de água dos reservatórios das hidrelétricas.

Entre as regiões, as maiores vendas foram registradas no Estado de São Paulo, cujo consumo de gás alcançou 15,15 milhões de m³/d em maio de 2010. Em segundo lugar aparece o Rio de Janeiro, cuja demanda somou 11,90 milhões de m³/d, seguido por Bahia (3,45 milhões de m³/d), Pernambuco (2,33 milhões de m³/d) e Santa Catarina (1,76 milhão de m³/d).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.