Os contratos futuros de açúcar terminaram a sessão de ontem com ganhos expressivos na bolsa de Nova York. Os lotes para entrega em maio, os mais negociados, subiram 2,11% e fecharam a 17,88 cents por libra-peso.

Os contratos futuros de açúcar terminaram a sessão de ontem com ganhos expressivos na bolsa de Nova York. Os lotes para entrega em maio, os mais negociados, subiram 2,11% e fecharam a 17,88 cents por libra-peso. Segundo analistas, os preços caíram muito nos últimos dois meses e os especuladores acharam uma boa oportunidade para comprar. Foi o segundo dia consecutivo de alta forte - chegou a 3,0% na segunda-feira. Na semana passada, o açúcar teve mínima de 16,17 cents por libra-peso. Trata-se de um recuo de 44% ante a cotação de 1º de fevereiro, a maior em 29 anos, puxada por problemas nas safras de cana do Brasil e da Índia. A forte alta do açúcar levou consumidores, como fabricantes de doces e bebidas, a adiarem as compras, o que pressionou o mercado. Muitos acreditam que, agora, já se chegou a um piso no curto prazo. Outras commodities tiveram ganhos ontem. Também em Nova York, especuladores guiaram o contrato de maio do café para o nível mais alto em oito semanas. O vencimento fechou em alta de 0,58%. Em Chicago, investidores se reposicionaram à espera de dois relatórios que o governo americano divulga hoje: o de intenções de plantio e o de estoques. Assim, os grãos não apresentaram direção comum. A soja subiu 0,67% e o trigo 1,56%. O milho terminou em queda de 0,70%.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.