Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

2.382 têm contrato supenso em SP

A Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) detalhou ontem para as centrais sindicais o funcionamento da suspensão temporária do contrato de trabalho. A medida, usada para evitar demissões, implica matrícula dos funcionários em cursos de qualificação por um período de dois a cinco meses, durante o qual recebem a bolsa-qualificação, uma modalidade do seguro-desemprego.

Agência Estado |

O órgão do MTE repassou aos sindicatos os critérios para a aceitação dos cursos, publicados na semana passada. Segundo a superintendência, há 16 acordos desse tipo no Estado, que atingem 2.382 trabalhadores. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG