Tamanho do texto

Valor desembolsado com o total de presentes deve ser de quase R$ 150, em média; classes C, D e E gastarão pouco mais de R$ 139

A crise econômica que o país atravessa é o principal motivo pelo qual os compradores estão mais cautelosos neste Dia dos Pais
Shutterstock
A crise econômica que o país atravessa é o principal motivo pelo qual os compradores estão mais cautelosos neste Dia dos Pais

Embora os brasileiros ainda estejam sensíveis aos efeitos da lenta recuperação econômica e do desemprego, 61% dos consumidores devem ir às compras neste Dia dos Pais. A expectativa é de que quase 93 milhões de pessoas façam alguma compra no período, o que deve movimentar aproximadamente R$ 13,9 bilhões nos setores do comércio e serviços.

Leia também: Percentual de famílias endividadas sobe pela primeira vez em 2018

O levantamento foi feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais brasileiras. Ainda segundo as entidades, o valor desembolsado com o total de presentes de Dia dos Pais será de R$ 149,27, em média - que diminui para R$ 139,36 quando considerados somente os consumidores das classes C, D e E.

A maior parte dos entrevistados (50%) pretende comprar somente um presente para a data. Os que vão adquirir dois presentes somam 34% da amostra.

A crise econômica que o país atravessa é o principal motivo pelo qual os compradores estão mais cautelosos. Mais de um terço (34%) dos que pretendem gastar menos dizem passar por uma situação de aperto financeiro e 24% querem apenas economizar com os presentes. Outros 16% devem priorizar o pagamento de contas atrasadas.

Os dados corroboram com a situação da maior parte dos brasileiros. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgada na última quinta-feira (2) pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), a porcentagem de famílias endividadas no Brasil cresceu um ponto percentual em julho, passando de 58,6% para 59,6%.

Presentes e presenteados

Neste Dia dos Pais, as pessoas mais presenteadas devem ser os pais (64%), os maridos (21%), os pais dos filhos dos entrevistados (11%), os sogros (7%) e os avôs (5%)
iStock
Neste Dia dos Pais, as pessoas mais presenteadas devem ser os pais (64%), os maridos (21%), os pais dos filhos dos entrevistados (11%), os sogros (7%) e os avôs (5%)

Em 2018, as roupas (50%) devem ser os itens mais procurados para agradar os pais. Em seguida aparecem os perfumes e cosméticos (32%), calçados (28%) e acessórios (27%), como cintos, carteiras e relógios.

Leia também: Cartão de débito populariza e lidera transações eletrônicas em 2017

Neste Dia dos Pais, as pessoas mais presenteadas devem ser os pais (64%), os maridos (21%), os pais dos filhos dos entrevistados (11%), os sogros (7%) e os avôs (5%). Além disso, 5% das pessoas consultadas pretendem se “auto presentear”.

Formas de pagamento

Entre os que vão parcelar o valor da compra, a média será de quatro prestações. Isso significa que muitos brasileiros só quitarão o presente de Dia dos Pais na época do Natal
Shutterstock
Entre os que vão parcelar o valor da compra, a média será de quatro prestações. Isso significa que muitos brasileiros só quitarão o presente de Dia dos Pais na época do Natal

A maioria dos entrevistados prefere pagar o presente de Dia dos Pais à vista, seja em dinheiro (53%) ou cartão de débito (22%). O pagamento com o cartão de crédito , em parcela única ou não, será a escolha de 16% e 25% dos consumidores, respectivamente.

As porcentagens não surpreendem. Apesar da popularização dos cartões magnéticos, o dinheiro ainda é a forma preferida pelo brasileiro para pagar suas compras. Segundo pesquisa do próprio BC divulgada no último dia 19 de julho, 60% dos entrevistados utilizam cédulas e moedas com mais frequência.

O percentual é significativo, mas já é menor do que o verificado em 2013, quando correspondia a 78%. O cartão de débito aparece na sequência, sendo a modalidade de pagamento favorita de 22% dos brasileiros; há cinco anos, a fatia era de apenas 9%.

Entre os que vão parcelar o valor da compra, a média será de quatro prestações. Isso significa que muitos brasileiros só quitarão o presente na época do Natal. “Em um momento em que os trabalhadores estão inseguros com relação ao futuro da economia e da política, comprar à vista e em dinheiro pode ser uma alternativa sensata para fugir do endividamento”, orienta Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil.

Lojas físicas X e-commerce

Para a escolha do lugar onde comprarão o presente de Dia dos Pais, mais da metade (53%) das pessoas consultadas leva em consideração a atratividade do preço, enquanto 42% dão mais valor à qualidade dos produtos
Shutterstock
Para a escolha do lugar onde comprarão o presente de Dia dos Pais, mais da metade (53%) das pessoas consultadas leva em consideração a atratividade do preço, enquanto 42% dão mais valor à qualidade dos produtos

Com 37% da preferência dos entrevistados, os shoppings são o principal local de compra de presentes para o Dia dos Pais. As lojas on-line (33%) aparecem em segundo lugar, seguidas pelas lojas de departamento (20%) e shoppings populares (14%).

Leia também: Nada de 'bola de neve'! Saiba como usar o cartão de crédito sem se enrolar

Para a escolha do lugar, mais da metade (53%) das pessoas consultadas leva em consideração a atratividade do preço, enquanto 42% dão mais valor à qualidade dos produtos. Outros 38% se preocupam com as opções de promoções e descontos e 25% dão preferência a locais com maior diversidade de produtos.

Dia dos Pais com economia

No geral, a maior parte das pessoas consultadas (60%) avalia que os preços dos presentes de Dia dos Pais estão mais altos em relação ao ano passado
iStock
No geral, a maior parte das pessoas consultadas (60%) avalia que os preços dos presentes de Dia dos Pais estão mais altos em relação ao ano passado

Para tentar gastar um pouco menos com os presentes, a maioria dos consumidores vai fazer uma pesquisa de preço. Segundo o levantamento, oito em cada dez compradores admitem que vão buscar por melhores ofertas antes de finalizar a compra do Dia dos Pais - e a internet será a principal aliada nessa pesquisa para 82% dos entrevistados.

No geral, a maior parte das pessoas consultadas (60%) avalia que os preços dos presentes estão mais altos em relação ao ano passado. Outros 34% acreditam que não houve variação de preços e somente 6% acham que ele diminuiu.

Uma das estratégias para não deixar o presente pesar no bolso será dividir o valor da compra com algum familiar. Do total de entrevistados, 8% vão adotar essa alternativa, sendo que em 40% dos casos os custos serão compartilhados com o cônjuge, em 31% das vezes com os irmãos e em 17% com a mãe.

Leia também: 44% dos empresários de varejo e serviços estão otimistas para o segundo semestre

“É preciso ter autocontrole e usar a criatividade para surpreender neste Dia dos Pais ”, diz Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil. “É importante respeitar o tamanho do próprio bolso, planejar os gastos e fazer muita pesquisa de preço, dando prioridade ao pagamento à vista”. E completa: “Para quem está inadimplente, mesmo que os valores dos presentes pareçam inofensivos, todo o esforço deve ser direcionado para o pagamento das dívidas”.