Levantamento revela ainda que, para 69% dos entrevistados, a paralisação dos caminhoneiros mais trouxe prejuízos que benefícios para o Brasil; veja

Brasil Econômico

Apesar da percepção negativa sobre a situação econômica, 60% acham que o Brasil é um País ótimo ou bom para se viver
Marcelo Camargo/ABr
Apesar da percepção negativa sobre a situação econômica, 60% acham que o Brasil é um País ótimo ou bom para se viver

Frente aos impactos causados pela greve dos caminhoneiros e às incertezas a respeito da retomada do crescimento, 7 a cada 10 brasileiros consideram que a situação econômica do País piorou nos últimos meses.

Leia também: Caminhoneiros voltam a discutir preço dos fretes com ANTT na segunda-feira

Isso é o que revela a pesquisa Datafolha publicada pelo jornal Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (11). De acordo com o levantamento, enquanto 72% dos entrevistados apontam a deterioração da  situação econômica brasileira, 6% dizem que o quadro nacional melhorou.

Os dados apontam uma piora em relação aos coletados em abril, quando 52% dos brasileiros avaliavam que a economia vinha se deteriorando.

Ainda de acordo com a pesquisa divulgada hoje, 32% dos entrevistados acreditam que a economia vai piorar nos próximos meses. Outros 26% estão confiantes numa recuperação.

Em contrapartida, em outra pergunta, foi apontado que 60% dos entrevistados dizem que o Brasil é um País ótimo ou bom para se viver. Em abril, esse índice era de 48%.

Economia pessoal e o desemprego

Quando perguntados sobre a sua situação pessoal, os entrevistados foram mais negativos em relação ao último levantamento. Afinal, 49% disseram ter passado por um retrocesso nos últimos meses, contra 10% que declararam avanços.

Leia também: Receita libera consulta a primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2018

Para concluir esse levantamento, o Datafolha ouviu 2.824 pessoas, entre os dias 6 e 7 deste mês. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O desemprego também tem crescido. De acordo com o IBGE, a taxa do trimestre fevereiro-março-abril subiu para 12,9%, ante 12,2% do trimestre anterior. Tal percentual atinge 13,4 milhões de brasileiros.

O jornal aponta, nesse mesmo cenário, a alta do dólar em relação ao real, que culminou, na última quinta-feira (7), em uma sensação de pânico no mercado financeiro. 

Greve dos caminhoneiros

Embora a greve dos caminhoneiros tenha conquistado, durante o processo de paralisação, o apoio de 87% da população brasileira – segundo pesquisa Datafolha divulgada na quarta-feira (30) –, hoje, ela não é mais vista com tãos bons olhos. 

A crise de desabastecimento e o impacto causado pela greve nos serviços em todo o País não parecem justificados após o fim da paralisação. Por isso, na pesquisa divulgada hoje, o Datafolha apontou que, para 69% dos brasileiros, de foram geral, a paralisação dos caminhoneiros trouxe mais prejuízos que benefícios. 

Leia também: Inflação oficial sobe e fica em 0,4% em maio, puxada pelo preço da gasolina

Nem mesmo a situação econômica dos caminhoneiros ou dos donos de empresas de transporte melhorou, segundo a pesquisa, com a paralisação. Para 46% dos entrevistados, a greve trouxe mais prejuízos que benefícios até para os caminhoneiros, enquanto 43% consideram o contrário. Para 6%, nada mudou para os motoristas de caminhão, e 5% não quis opinar. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.