Antes de clicar no link da plataforma, saiba que, para fazer as operações no Meu INSS, é preciso cadastro no serviço, o qual pode ser feito em minutos

Brasil Econômico

Encontrou alguma informação errada no Meu INSS? Tudo bem, veja por quê não há motivos para pânico
iStock
Encontrou alguma informação errada no Meu INSS? Tudo bem, veja por quê não há motivos para pânico

O Instituto Nacional do Seguro Social ( INSS ) lançou um serviço online que permite a concessão de aposentadoria por tempo de contribuição pela internet. E, o que tudo indica, esses serviços se tornam uma tendência a ser seguida pelos órgãos públicos, já que a  central de serviços Meu INSS – tanto no portal e quanto no aplicativo – já conta com mais de cinco milhões de usuários cadastrados e ainda tem planos de extensão de funcionalidades.

Leia também: Pedido de aposentadoria por tempo de contribuição poderá ser feito pela internet

Porém, antes de comemorar ‘a fuga’ das famosas filas do INSS, confira quais tipos de demandas podem ser atendidas pela plataforma, ou seja, tudo o que já é possível fazer com o Meu INSS :

Consulta de dados

Caso tenha dúvidas ou simplesmente queira checar se as suas informações estão corretas no banco de dados do INSS, vá até a opção “Extrato Previdenciário (CNIS)”.

Nesta seção, o segurado pode checar nome, nome da mãe, nome do pai, nome social, sexo, estado civil, grau de instrução, data de nascimento, nacionalidade, município e país de nascimento, CPF, título de eleitor, CNH, Registo de Identidade, endereço, telefone e e-mail.

Além das informações pessoais, o espaço também oferece a visualização do registro em que consta os vínculos trabalhistas, na opção “vínculos e remunerações”. O portal do INSS informa que, caso o empegado precise comprovar o tempo de contribuição para o empregador, por exemplo, o extrato impresso desse documento é o suficiente.

Leia também: Salário mínimo ideal deveria ser de R$ 3.752 em janeiro, diz Dieese

Correção de informações

Encontrou alguma informação errada no portal? Tudo bem, não há motivos para pânico. Caso o erro ou desatualização esteja no nome da rua da sua casa ou no número de telefone, é possível fazer a alteração pela Central de Teleatendimento 135. Entretanto, isso está prestes a mudar dentro de alguns dias, segundo o INSS, já que as informações chamadas de “dados não críticos” poderão ser atualizadas pela internet. Mas, o instituto não deu detalhes sobre a data. 

Já os “dados críticos”, que envolvem um alto grau de sigilo, como o nome do contribuinte, nome da mãe, data de nascimento e CPF, precisam de agendamento para serem atualizados diretamente em uma agência do INSS.

Para programar a visita, o segurado pode clicar em “Agendamentos/Requerimentos”. Assim, basta que clicar, respectivamente, em “Atualização de Informações Previdenciárias” e “Atualização de Cadastro”.

Leia também: Gilmar Mendes valida acordo entre poupadores e bancos por Planos Collor 1 e 2

Simulação

Atualmente, contribuintes já podem fazer uma simulação do tempo de contribuição para saber quanto tempo resta para chegar à tão esperada aposentadoria, mas, para fazer essa ‘investigação’, é preciso inserir cuidadosamente – e manualmente – os registros sobre os vínculos trabalhistas.

Entretanto, o INSS informou outra novidade que deve integrar a plataforma, uma ferramenta que simula, automaticamente, o tempo de serviço. Um detalhe que vale ser apontado é que se trata apenas de uma simulação, a concessão real do benefício só acontece com a aprovação do INSS.

Cadastro

Para poder fazer essas operações no Meu INSS , vale lembrar que é preciso um cadastro no serviço, que pode ser feito em minutos. O segurado terá de disponibilizar: nome completo, CPF, data e local de nascimento e nome da mãe para que o sistema gere uma senha de acesso provisório. Assim que o login for efetuado, aparecerá uma mensagem instruindo o segurado a criar a própria senha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.