Os dados apurados mostram que em agosto deste ano teve recuo de 0,41% no número de devedores, na comparação com igual período do ano passado

Brasil Econômico

Inadimplentes: Brasil tem mais de 59,1 milhões de pessoas com contas em atraso
Divulgação SPC Brasil/CNDL
Inadimplentes: Brasil tem mais de 59,1 milhões de pessoas com contas em atraso


Dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) apontam que houve queda de no número de brasileiros inadimplentes. O índice apresentou leve recuo de 0,41% em agosto deste ano, na comparação com igual período do ano passado. Com o resultado, o indicador tem sua sexta queda consecutiva dentro da série histórica.

Leia também: Preço médio da gasolina vendida ao consumidor atinge recorde em 2017

As entidades informaram que a última vez em que se observou um aumento no número de inadimplentes havia sido em fevereiro deste ano, quando a alta fora de 0,41%. A estimativa é que 59,1 milhões de pessoas tenham alguma restrição no CPF devido contas em atraso.

Segundo o presidente da CNDL , Honório Pinheiro, a queda no índice de inadimplência sinaliza cautela do consumidor em relação ao endividamento. “Se por um lado, as dificuldades do cenário recessivo fazem crescer o número de devedores, a maior restrição do crédito age na direção contrária, limitando a tomada de crédito e o crescimento da inadimplência”, afirma Pinheiro.

Os economistas das duas entidades afirmam que a tendência de queda na inadimplência se manterá, já que a economia começa a dar sinais de recuperação. “Com a retomada do ambiente econômico acontecendo de forma lenta, ainda demorará para termos um aumento expressivo do número de empregos e renda, fatores que impactam de forma positiva tanto no pagamento de pendências, quanto na propensão ao consumo por parte do consumidor e na concessão de crédito por parte das instituições financeiras. Mesmo sem o volume de inadimplentes crescer de forma significativa no curto prazo, o estoque de brasileiros nessa situação continua em patamar elevado”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Leia também: HBO é multada em R$ 2 milhões pelo Procon por exibir filme adulto à tarde

Regiões

A pesquisa identificou também o índice de inadimplência das cinco regiões brasileiras e foi apurada uma queda generalizada de consumidores endividados.  A queda mais acentuada foi na região sudeste, que apresentou queda de 5,07% em agosto frente o mesmo período do ano passado. Em segundo lugar ficou a região Sul, com recuo de 3,70% na quantidade de devedores. As variações também foram negativas no Centro-Oeste  com queda de 0,76%, Norte  com recuo de 0,65% e Nordeste com retração de 0,27%.

Em contrapartida a queda no índice de inadimplência, foi constatado que a região Sudeste tem mais concentração na quantidade de pessoas com contas em atraso, com 24,45 milhões, número esse que responde a 37% do total de devedores. A segunda região com maior número absoluto de devedores é o Nordeste, que conta com 16,32 milhões de negativados, ou 40% da população. Em seguida, aparece o Sul, com 8,02 milhões de inadimplentes (36% da população adulta).

Já em termos proporcionais, destaca-se o Norte, que, com 5,41 milhões de consumidores inadimplentes, possui 46% de sua população adulta incluída nas listas de negativados, o maior percentual entre as regiões pesquisadas. O Centro-Oeste, por sua vez, aparece com um total de 4,90 milhões de inadimplentes, ou 42% da população.

Leia também: Apple apresenta iPhone X com tela maior e reconhecimento facial

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.