Após oito cortes consecutivos da taxa Selic, Banco Central informa que novas reduções serão mais ponderadas; hoje o juros é de 8,25% ao ano

Brasil Econômico

Ata do Copom, divulgada nesta terça-feira (12) pelo Banco Central, sinaliza cortes menores da taxa Selic até o final deste ano
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Ata do Copom, divulgada nesta terça-feira (12) pelo Banco Central, sinaliza cortes menores da taxa Selic até o final deste ano


A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), indica que o ritmo de cortes da taxa básica de juros – Selic – será menor a partir da próxima reunião. O documento informa ainda que a autoridade monetária deve encerrar o ciclo de redução dos juros no País.

Leia também: Próximas rodadas de leilão do pré-sal recebem 25 pedidos de participação

Na última quarta-feira (6), os membros do Copom decidiram de forma unânime a redução de 1 ponto percentual da taxa Selic, sendo essa o oitavo corte consecutivo da taxa básica de juros. A Selic passou de 9,25% para 8,25% ao ano, enfatizou o Banco Central na ata divulgada nesta terça-feira (12).

“O Copom ressalta que as condições econômicas permitiram a manutenção do ritmo de flexibilização monetária nesta reunião. Para a próxima reunião, caso o cenário básico evolua conforme o esperado, e em razão do estágio do ciclo de flexibilização, o comitê vê, neste momento, como adequada uma redução moderada na magnitude de flexibilização monetária”, diz o Copom. Acrescenta que “antevê encerramento gradual do ciclo”.

Inflação

Análise do Copom afirmou que a redução no preço dos alimentos e da inflação de bens industriais deve produzir uma trajetória de inflação abaixo do esperado. Por outro lado, o Copom sinaliza certa frustração quanto as expectativas sobre a continuidade das reformas e dos ajustes necessários na economia brasileira pode elevar a trajetória. O comitê lembra que a projeção do mercado para a inflação está em 3,4% este ano e em 4,2%, em 2018.

Leia também: Procon autua oito empresas e descarta 1,2 tonelada de alimentos impróprios

Reformas em curso

“Todos os membros do comitê voltaram a enfatizar que a aprovação e implementação das reformas, notadamente as de natureza fiscal, e de ajustes na economia brasileira são fundamentais para a sustentabilidade do ambiente com inflação baixa e estável, para o funcionamento pleno da política monetária [decisões sobre a Selic] e para a redução da taxa de juros estrutural da economia, com amplos benefícios para a sociedade”, diz o documento divulgado pela autoridade monetária.

Outras medidas

Outro ponto destacado pelo Banco Central na ata da reunião do Copom na última semana sinalizou otimismo quanto a retomada do crescimento econômico, em especial após o anúncio dos pacotes de privatizações e concessões anunciadas pela equipe econômica de Michel Temer. "Esses esforços são fundamentais para a retomada da atividade econômica e da trajetória de desenvolvimento da economia brasileira”, enfatizou.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Próximas rodadas de leilão do pré-sal recebem 25 pedidos de participação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.