Conheça a história de Matheus Freiha, que usou formação em gastronomia para promover alimentação saudável e hoje tem quatro startups diferentes

Forneria é um dos maiores sucessos da carreira do empreendedor Matheus Freiha
Divulgação
Forneria é um dos maiores sucessos da carreira do empreendedor Matheus Freiha

Matheus Freiha representa bem o tipo de empreendedor que usou todo o conhecimento em determinada área para ter sucesso no mercado. Formado em gastronomia, abriu a primeira empresa em 2012 e hoje já tem quatro negócios voltados para o setor de alimentação.

Leia também: Veja como empresário transformou interesse por vinho em negócios

A carreira como empreendedor teve início quando Freiha pensou que poderia usar suas habilidades para melhorar a qualidade de vida das pessoas. "Me formei em gastronomia em 2009, depois fui aprofundar os estudos na Suíça. Estudei e trabalhei em um hotel. Quando voltei, procurei alguma coisa interessante que ajudasse as pessoas a comerem de forma mais saudável. Tive a oportunidade de conhecer um administrador que tinha criado um bistrô como teste e estava terceirizando a cozinha, mas precisava de um sócio para fazer crescer. No final de 2011, entrei nessa sociedade", conta.

Segundo Freiha, a empresa é "uma loja online que vende kits de marmitas frescas embaladas a vácuo em atmosfera modificada". Com isso, as pessoas podem comer alimentos mais saudáveis de forma mais prática no dia a dia. O empresário diz que as marmitas conseguem manter qualidade, textura e sabor de pratos frescos por até 10 dias.

Um dos diferenciais aplicados por Freiha foi a separação em duas linhas diferentes. Ele diz que existe a linha "equilíbrio" – que tem pratos balanceados e saudáveis, com bastante vegetal, carnes magras e carboidratos –, e a linha voltada para o emagrecimento, que não usa carboidratos nas refeições.

Além disso, uma das grandes sacadas do empresário foi a parceria que fez com estudantes para o desenvolvimento de embalagens. "Fomos convidados pelo Senac do Rio de Janeiro para ajudar a turma de design. Todos eles fizeram o TCC reformulando o projeto de design das embalagens. Eu e meu sócios fomos até lá, vimos todas as apresentações e escolhemos o grupo que tinha o melhor trabalho", conta. A partir disso, os jovens foram convidados a criar os desenhos dos produtos da empresa.

Plano antigo

Freiha diz que empreender sempre esteve em seus planos, pois sabia que seria a melhor forma de ganhar a vida: "Desde que decidi fazer gastronomia, sabia que precisava me preparar para abrir um negócio próprio porque é um mercado que remunera mal".

Leia também: Quer abrir um e-commerce? Confira esses 12 pontos antes de iniciar negócio

O gastrônomo, que não sabia nada sobre administração de empresas quando começou os negócios, conta que tem de desenvolver a capacidade de empreender diariamente. "Fui aprendendo e continuo aprendendo no dia a dia, nas dificuldades", orgulha-se.

Mesmo com as dificuldades diárias, Freiha gostou da ideia de ser seu próprio chefe. Em 2016, abriu mais três negócios de uma só vez. O primeiro foi o Deu Sopa, que, como o nome sugere, vende sopas congeladas no mesmo modelo de trabalho das marmitas saudáveis. 

Com os bons resultados de seus trabalhos, o empresário foi convidado para entrar como sócio na Forneria Urbana, que tinha a proposta de vender pizzas dentro de um contêiner em um shopping. "As pessoas que me convidaram queriam que desenvolvesse todo um projeto de pizzaria mais jovem, para comer com as mãos", explica. 

Junto com a fornearia, surgiu a oportunidade de abrir, no mesmo espaço, o bar Lá Em Cima. Segundo Freiha, os negócios se complementam. "Tinha um espaço muito interessante, que era o telhado do shopping, que estava disponível. A gente decidiu, junto com a forneria, para aproveitar a sinergia, abrir um bar", afirma o empresário. 

Apesar de hoje estar bem com os negócios, ele conta que o período em que deu inícios às três empresas "foi um tanto quanto estressante". "Eu sabia que era um grande desafio porque eu só tinha tido coisas online, não tinha contato com o cliente direto, com varejo. Contato com o público é diferente, outra coisa para aprender", admite.

É claro que, para conseguir lidar com tudo isso, Freiha precisa de ajuda. Com a abertura dos novos negócios, ele fica mais focado nos estabelecimentos de venda direta para o cliente, enquanto a esposa cuida das sopas e marmitas, feitas em uma cozinha central.

Leia também: Mercado vegetariano faz empresários lucrarem alto no Brasil

O sucesso alcançado com o bar e a fornearia fez com que o empreendedor começasse a pensar em expansão. Cauteloso, porém, diz que vai manter as entregas das marmitas e sopas apenas em São Paulo, pois ainda não é o momento de aumentar a operação. Freiha pode até gostar de dar vários passos de uma só vez, mas nunca maiores que as próprias pernas. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.