Para economista da Gradual Investimentos, multimercados podem ser opções viáveis para trazer rentabilidade em tempos de baixos juros; entenda

Brasil Econômico

Veja como aumentar sua lucratividade na Bovespa com os multimercados
shutterstock
Veja como aumentar sua lucratividade na Bovespa com os multimercados

Em momentos de juros baixos no País, alguns gestores e investidores de bolsas de valores como a Bovespa, ficam indecisos sobre onde aplicar o capital. Desde o começo do ano, o Banco Central (BC) vem cortando juros de maneira não vista há oito anos. Vendo esse acontecimento como uma oportunidade, os fundos multimercados (FIMs) podem ser uma opção viável de aplicação, por possibilitar o investimento em diversos ativos e com maior rentabilidade.

Leia também: Cortar gastos de estatais é caminho para ajustar contas públicas, diz BNDES

"Os multimercados dão liberdade de investir na Bovespa e em várias frentes, obtendo assim a melhor rentabilidade destes ativos. Eles são amplos e isolam apenas os fundos nesta parte de investimentos. Além disso, existem níveis de volatilidade. A "low vol", que seria a baixa volatilidade, são ideais para o momento dos juros hoje", explica o economista e diretor de financiamentos da Gradual Investimento, Pedro Afonso Coelho.

A "low vol" citada pelo economista, refere-se a sua baixa volatilidade, o que dá uma maior segurança ao investidor, diminuindo os grandes riscos. "Como o mercado financeiro costuma avaliar seus ativos quanto ao seu nível de risco, que seria a volatilidade, informalmente no multimercados, houve uma classificação como: “low vol” de baixa volatividade, “mid vol” que seria de média volatilidade ou “high vol” com uma alta volatilidade", afirma.

Lucro

No caso dos multimercados “low vol”, a lucratividade é mais do que importante, uma vez que sinaliza ao seu investidor como estão os resultados de seus investimentos, além de sobrepor outros fundos, considerados mais conservadores. Como os FIMs também são conhecidos por seus riscos, devido a aplicação do dinheiro visando o longo prazo, é possível que ocorram oscilações, normais do mundo econômico, entretanto, nada impede que o lucro ultrapasse os 25%.

Leia também: Proposta de aumento do IR não será enviada ao Congresso, diz governo

"Os FIMs de baixa volatilidade são aqueles que concentrarão maior parte de seus investimentos em ativos de baixo risco, porém diversificando o suficiente para buscar um “algo a mais” para o cotista. Através de uma série de investimentos, muitos deles tão conservadores quanto um investimento tradicional em renda fixa, obtendo uma rentabilidade muito acima de um Fundo DI ou um Fundo de Renda Fixa, podendo chegar – nos rendimentos - em alguns casos a 20% ou 30% a mais na comparação", ressalta Coelho.

Em relação ao ao bom rendimento de investidores, bem como gestores da Bovespa, é recomendado que esperem para retirá-lo. Para muitos, o maior tempo de retirada dos fundos  multimercados é apontado como algo negativo, porém Pedro expõe este fato de maneira contrária, servindo como oportunidade para potencializar os negócios. "Esses fundos costumam ter um prazo de resgate um pouco maior do que os fundos 100% conservadores, em alguns casos podendo chegar a 30 dias, tempo suficiente para o gestor desfazer uma operação caso haja um resgate. Nesses tempos de vacas magras, ou taxa de juros baixa, é uma forma interessante para o investidor fugir da tradicional Renda Fixa e dar uma turbinada em seus investimentos".

Leia também: Concursos públicos: veja as oportunidades deste mês de agosto

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.