Investir na facilidade de pagamento por meio de botões de "compre com um clique", pode contribuir e impulsionar o consumidor a finalizar a transação

Brasil Econômico

Aumento nas vendas de celulares contribuiu para a expansão do e-commerce
shutterstock
Aumento nas vendas de celulares contribuiu para a expansão do e-commerce

Grande aliado dos empresários, o comércio eletrônico ou e-commerce tem atraído cada vez os consumidores, com uma vasta diversidade de produtos e preços, se comparado a lojas físicas. Porém, para que os resultados continuem favoráveis para ambas às partes, é necessário se atentar as estratégias de atendimento utilizadas pelas empresas. Pensando nisso, a startup desenvolvedora de sistemas voltados para o relacionamento com o cliente, Octadesk, listou tendências e dicas que podem agregar valor aos produtos ofertados. Veja:

Leia também: Impostos de São João; tributos chegam a 39% em itens típicos e encarecem a festa

Varejo online e offline

Com o crescimento do  e-commerce  e as mudanças no varejo, é importante oferecer uma experiência completa para os clientes, buscando interligar o varejo online e o offline. Há ferramentas que possibilitam identificar o tempo que os internautas costumam ficar na página de um determinado produto, evidenciando o que eles estão à procura. Desse modo, a empresa pode ter uma base para efetuar melhoras na experiência de compra, além de tornar os preços mais competitivos, construindo um acesso mais fluído, que integre varejo online e offline, seja por meio de redes sociais ou estratégias mobile que utilizem geolocalização.

Comércio mobile

De acordo com a empresa de inteligência de mercado, IDC Brasil, foram vendidos cerca de 10,3 milhões de celulares no primeiro trimestre do ano passado, o que mostra a expansão do mobile commerce . Muitos consumidores têm preferido adquirir um celular a um computador, o que tem potencializado esse crescimento, além de contribuir para o varejo online.  Assim, investir na facilidade de pagamento por meio de botões de "compre com um clique", pode ser uma boa opção para impulsionar o consumidor a finalizar a transação.

Leia também: Cinco perguntas que devem ser feitas ao franqueador antes de abrir um negócio

Comportamento do consumidor

A maior exigência dos clientes tem influenciado fortemente na formulação dos modelos de negócio, assim como na adoção de tecnologias, como a mobile, que os dão mais autonomia. Uma prática comum entre os compradores é a consulta de preços em lojas físicas e a aquisição em lojas online, o que pode gerar uma possível negociação. Além disso, com a expansão das redes sociais , a troca de informação ganhou espaço entre os consumidores, que compartilham suas opiniões sobre os produtos e serviços ofertados.

Mercado de tecnologia

Com o desenvolvimento da tecnologia, estima-se que o setor de comércio eletrônico, que teve crescimento anual de 37%, se expanda ainda mais. Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM), as plataformas mais utilizadas para esse tipo de comércio são a Magento, com 20,2%, a Fastcommerce, com 5,9%, a Vtex, com 5,6%, o WordPress, com 4,7% e a Ciashop, com 4,4%. Com isso, gatilhos de automações para marketing e atendimento, chatbots para tirar dúvidas e autoatendimento se tornaram grandes tendências no meio.

A tecnologia para o e-commerce também aparece como um contribuinte no rastreamento e monitoramento de resultado de campanhas , mostrando os canais de maior conversão, bem como o atendimento multicanal, a integração com plataformas de anúncios, a vitrine de produtos e e-mails personalizados. Outros processos de gestão a serem destacados são os sistemas de Enterprise Resource Planning (ERP), controle logístico e Bussiness Intelligence (BI).

Leia também: Carreira: especialista dá três dicas para preparar a recolocação no mercado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.