Golpes pelo aplicativo de mensagens tem se tornado cada vez mais comum. Empresa de segurança alerta para o perigo de roubo de dados e vírus; veja

Brasil Econômico

Um novo golpe aplicativo pela plataforma de mensagens WhatsApp está pegando os consumidores, literalmente, pela barriga. Alguns usuários tem recebido uma mensagem com um cupom e a promessa de ganhar um voucher no valor de R$ 70 na rede de fast-food Mc Donald’s.

Leia também: Entenda como são realizados os golpes do vale-presente no WhatsApp

WhatsApp tem novo golpe e desta vez envolve o nome da rede de fast-food Mc Donald's; entenda
shutterstock
WhatsApp tem novo golpe e desta vez envolve o nome da rede de fast-food Mc Donald's; entenda


Em menos de 24 horas o golpe já vitimou mais de 100 mil ususários do WhatsApp , informou balanço prévio da startup de segurança PSafe.  A mensagem chega ao aplicativo de mensagens e pede ao usuário forneça dados pessoais para então receber o voucher no valor já mencionado.

Ao usar a mesma identidade visual da marca Mc Donald’s o golpe confunde o usuário que pode ser lesado de diversas maneiras ao informar dados como RG e CPF. Entre os riscos que os consumidores correm ao cair nessa estratégia está compras e cobranças indevidas em seu nome, donwload de aplicativos que prejudicam o celular, além de milhares de vírus .

Segundo especialistas da PSafe – que vivem alertando sobre links maliciosos que têm sido compartilhados pela rede de compartilhamento de mensagens, o alto número de usuários atingidos pela falsa promoção se deve ao fato de o golpe pedir que a pessoa compartilhe o link do anúncio com outros 10 contatos para validar o “cupom”.

Leia também: WhatsApp: confira em quais smartphones o app deixará de funcionar

Outros casos

Do começo do ano para cá diversos golpes foram aplicados sendo que milhões de consumidores acabaram sendo prejudicados. Na Páscoa, por exemplo, mais de 300 mil pessoas caíram no golpe do ovo de Páscoa gratuito.

Os golpistas usaram nomes de grandes marcas de chocolate como o da Kopenhagen para espalhar vírus e roubar dados pessoais de que clicasse no link malicioso.  Na época o alerta também foi feito pela startup já mencionada e explicou como os criminosos agem no WhatsApp.  “Essa falsa campanha apresentou uma rápida curva de crescimento nas últimas 24 horas, o que nos leva a crer que os cibercriminosos estão fazendo sua divulgação por meio de propagandas incentivadas em outras plataformas além do aplicativo de mensagens instantâneas”, comentou Emilio Simoni, gerente da PSafe, por meio de nota.

Leia também: Telefone.ninja expõe dados de usuários, mas não espalha vírus, diz especialista

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.