Em comunicado, a agência de classificação de risco explicou sua decisão à situação das contas públicas e às "fracas projeções de crescimento" do país

Brasil Econômico

A agência de classificação de risco Fitch Ratings manteve nesta sexta-feira (19) a nota de crédito do Brasil em moeda estrangeira em BB. Com projeção negativa, o país segue dois degraus abaixo do grau de investimento. De acordo com a agência, os recentes eventos políticos envolvendo o presidente Michel Temer aumentaram a incerteza sobre o progresso das reformas defendidas pelo governo e podem afetar a confiança de retomada econômica.

Leia também: Veja como a alta do dólar afeta o consumidor e as empresas

Em comunicado, a Fitch afirmou que os acontecimentos geram dúvidas no mercado sobre a estabilização da dívida pública, devido aos grandes desequilíbrios orçamentários e sobre avanços nas reformas, principalmente a da Previdência. "O rating do Brasil é contido pela fraqueza estrutural em suas finanças públicas, peso crescente da dívida do governo, perspectivas fracas de crescimento, indicadores mais fracos de governança e repetidos episódios de instabilidade política".

Em nota, o Ministério da Fazenda destacou a diversidade da economia brasileira mencionada pela Fitch
EBC
Em nota, o Ministério da Fazenda destacou a diversidade da economia brasileira mencionada pela Fitch

Leia também: Escândalo envolvendo Michel Temer faz dólar registrar maior alta em 18 anos

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a abertura de um inquérito para investigar o presidente Temer. O pedido foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) após o empresário Joesley Batista, dono da JBS, denunciar em delação uma gravação em que o presidente supostamente dá o aval para comprar o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Com a decisão, Temer passa à condição formal de investigado na Operação Lava Jato.

O Ministério da Fazenda publicou uma nota sobre a avaliação e optou por destacar a menção sobre a importância da aprovação das reformas em curso. Segundo o governo, agência "reconhece que a diversidade da economia brasileira, o volume expressivo de reservas internacionais e a capacidade do mercado doméstico de dívida pública de financiar os deficits fiscais nos últimos anos constituem pontos fortes do país".

O governo afirmou ainda que "a avaliação da agência reforça a importância das iniciativas que visam à recuperação da economia brasileira e à construção das bases para o crescimento sustentado. O Ministério da Fazenda reafirma seu compromisso com a busca da consolidação fiscal do país e a sustentabilidade da dívida pública".

Leia também: BC diz que trabalha para manter funcionalidade do mercado

A classificação de risco por agências estrangeiras como a Fitch representa uma medida de confiança dos investidores intrnacionais na economia de um país. As notas servem como referência para os juros dos títulos públicos, que representam o custo para o govenro pegar dinheiro emprestado dos investidores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.