É necessário ter a consciência de que, na maioria dos casos, oferecer frete grátis implica em abrir mão de uma parte da margem de lucro do e-commerce

Brasil Econômico

Varejista precisa identificar se o negócio é capaz de sobreviver oferecendo frete grátis
iStock
Varejista precisa identificar se o negócio é capaz de sobreviver oferecendo frete grátis

Na tentativa de atrair novos clientes e aumentar as vendas, muitos empreendedores do e-commerce oferecem frete grátis para seus produtos. A princípio, esta estratégia pode parecer muito efetiva, mas é importante considerar que um planejamento financeiro minucioso é essencial para evitar prejuízos nestes casos.

Leia também: Ações trabalhistas: crise exige maior cautela na hora da demissão

Antes de tudo, é necessário ter a consciência de que, na maioria dos casos, oferecer frete grátis  implica em abrir mão de uma parte da margem de lucro do e-commerce. Dessa maneira, o varejista precisa identificar se o negócio é capaz de sobreviver sem esse percentual. De toda forma, o cálculo da precificação do frete é o que vai definir se a isenção da taxa é vantajosa ou não.

Uma pesquisa divulgada pela Ebit/Buscapé, a Webshoppers 2016, mostrou que houve uma diminuição na oferta de entregas gratuitas desde 2014. O levantamento também apontou que em 2015, 40% das vendas pela internet foram feitas sem a cobrança da taxa.

No entanto, um outro estudo, realizado em 2015 pela ComScore, revelou que em 58% dos casos os internautas abandonam o carrinho após notar que o frete tornou o custo total da compra maior do que se esperava pagar. 

O comerciante que procura definir a melhor política de frete e evitar perdas em sua loja virtua, deve avaliar quais são os momentos indicados para aplicar campanhas de isenção da taxa e definir quando – e se – elas realmente são fundamentais para a decisão de compra do consumidor.

Leia também: Veja quais são os benefícios mais diferentes oferecidos pelas empresas

Analisar o volume de vendas, o ticket médio da loja, os juros negociados e os valores acordados com as soluções de logística pode ser um fator decisivo para que uma campanha de entregas gratuitas funcione.

Para fazer o cálculo das taxas de frete, a loja precisa realizar uma divisão por tipo de serviço. Existem as opções de Expreso ou Normal, separar faixas de peso, região e acrescentar o adicional por peso excedido.

Além disso, é necessário verificar os grupos de tarifa, ou seja, conferir se a transportadora atende diretamente ou por redespacho, checar as taxas de seguro, de gerenciamento de riscos (GRIS), o limite para valor declarado, as regras e taxas de reentrega, as taxas para devolução e de coleta, o fator de cubagem e os impostos. É um processo trabalhoso, pois são vários os detalhes para uma precificação adequada, mas o resultado final compensa.

Leia também: Funcionária é indenizada após demissão por reivindicar horas extras

O varejista também pode reduzir gastos com as taxas de fretes fazendo a terceirização do serviço com logísticas especializadas no fulfillment e distribuição, que podem auxiliar no planejamento e gestão do seu e-commerce. Iniciativas como essas podem ajudar sua empresa a transformar o frete grátis em potencial de negócios e fidelização dos clientes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.