Fecomercio-SP apontou que entre outubro a dezembro de 2016 foram extintos 4.566 empregos, com queda de 1,6% no estoque de empregados

Brasil Econômico

Segundo a Fecomercio-SP. os números obtidos no último trimestre de 2016 evidenciam um aprofundamento na crise sofrida pelo mercado de trabalho formal do setor de viagem e eventos do Estado de São Paulo
iStock
Segundo a Fecomercio-SP. os números obtidos no último trimestre de 2016 evidenciam um aprofundamento na crise sofrida pelo mercado de trabalho formal do setor de viagem e eventos do Estado de São Paulo

De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) com base nas informações da Pesquisa de Emprego do Setor de Viagens e Eventos (PESVE) elaborada por meio da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged), o setor de viagens e eventos do Estado de São Paulo eliminou cerca de 6.187 postos de trabalho formais no ano passado.

Leia também: Fecomercio-SP registra perda de 1.917 vagas formais no terceiro trimestre

Segundo a Fecomercio-SP , entre outubro a dezembro foram extintos 4.566 empregos. Levando em consideração a variação porcentual, o estoque ativo de empregados teve queda de 1,6% se comparado ao terceiro trimestre de 2016 e de 2,2% em relação a dezembro de 2015. Assim, o setor finalizou o ano passado com estoque total de 276.564 empregos formais.

Entre as seis atividades analisadas, apenas o setor de alimentação apresentou crescimento no número de empregos, com alta de 2,9% e acréscimo de 1.729 novas vagas. Em contrapartida, o setor de cultura e esportes foi o que apontou maior recuo, com queda de 7,9% e 389 postos de trabalho a menos. Em seguida ficou o setor de agências e operadoras de viagens, com redução de 4,3% e perda de 1.092 empregos formais.

Setor de viagens

Leia também: UE, China e Coreia do Sul suspendem importações de carnes do Brasil

Para a assessoria econômica da Federação, os números obtidos no último trimestre do ano passado evidenciam um aprofundamento na crise sofrida pelo mercado de trabalho formal do setor de viagem e eventos do Estado de São Paulo, uma vez que o saldo negativo teve perda duplicada no mesmo período.

Mesmo com o encerramento do ano marcado pela redução de empregos formais, houve resultado positivo nos empregos do setor, já que no 4º trimestre observou-se indício de recuperação diante da economia paulista. A entidade estima que o setor de viagens e eventos detenha saldos menores ao longo de 2017, sejam eles positivos ou negativos, o que pode ocasionar estabilidade no mercado de trabalho celetista e melhora no ambiente de negócios nacional.

Regiões paulistas

Dentre as Macro Regiões Turísticas (MRT) do Estado de São Paulo, aproximadamente 52% da mão de obra vinculada ao setor de viagens e eventos estão alocadas na Capital Estendida, que compreende mais de 20 municípios, como por exemplo, Guarulhos, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo e Barueri. Já outros 13,8% da mão de obra das atividades que compõem a pesquisa estão concentradas em municípios como Campinas, Atibaia, Águas de Lindóia, Jundiaí, Hortolândia, Indaiatuba, Serra Negra, Piracicaba, São Pedro e São Roque.

Segundo a Fecomercio-SP, o baixo desempenho do emprego formal do setor no último trimestre do ano passado foi impulsionado pela perda de 4.712 vagas na Capital Expandida, com destaque para serviços de transportes e setor alimentício. Por outro lado, o resultado positivo com maior destaque foi apresentado na geração de empregos formais em atividades ligadas diretamente a viagens e eventos na MRT Vale do Paraíba, Serras e Mar e na MRT Praias e Mata Atlântica, com saldos positivos de respectivamente, 1.145 e 439 vagas.

Leia também: Varejo deve perder R$ 10,5 bilhões com os feriados prolongados em 2017