No Dia Internacional da Mulher (8), Bovespa promoveu evento para inserção de iniciativas abrangentes a igualdade de gênero no ambiente de trabalho

Brasil Econômico

Bovespa discute igualdade de gênero acerca de iniciativa que impulsiona mulheres no mercado de trabalho
Divulgação/Bovespa
Bovespa discute igualdade de gênero acerca de iniciativa que impulsiona mulheres no mercado de trabalho

Na quarta-feira (8), data em que se celebra o Dia Internacional da Mulher, a BM&F Bovespa abriu o seu pregão com a iniciativa “Ring the Bell for Gender Equality” em apoio a igualdade de gênero. Criada pela plataforma corporativa Sustainable Stock Exchanges (SSE), a ação faz parte de um pacto global da ONU Mulheres e da Federação Mundial de Bolsas (WFE).

Leia também: Do escritório às pistas de aviação: conheça histórias inspiradoras de mulheres

O evento é abrangente a outras 42 bolsas de valores do mundo e teve como principal frase “o toque de campainha pela igualdade de gênero”, e a inserção da iniciativa “Women’s Empowerment Principles (WEPs), onde diferentes empresas do mercado puderam se juntar a funcionárias da Bovespa e a convidadas da SSE para discutir a equidade de direitos entre homens e mulheres no ambiente de trabalho.

Durante a cerimônia a Bolsa de Valores de São Paulo também foi convidada pela SSE para se tornar uma das 15 cases do paper “How stock exchanges can advance gender equality” - como  as bolsas de valores podem ajudar na igualdade de gênero, lançado no início desta semana.

Impactos

Em seu discurso, o diretor presidente da BM&F Bovespa, Edemir Pinto, apresentou dados do estudo da SSE no qual aponta que a economia global seria até U$ 28 trilhões maior em 2025 se não houvesse desigualdade de gênero. “Nós não queremos esperar até lá. Estamos trabalhando com determinação para que essa igualdade se materialize. Seguiremos trabalhando forte por esta agenda e estamos cientes de que ainda há muito a se fazer, mas temos certeza de que caminhamos na direção correta, estimulando as empresas listadas e demais participantes do mercado de capitais nesta agenda da igualdade”, afirmou.

Leia também: Praticamente metade dos negócios abertos em 2016 tiveram a participação feminina

A presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Trajano, aproveitou o ocorrido para fazer um apelo às executivas, pedindo cuidados e boas condições para mulheres operárias. “Nosso olhar tem de ser voltado a esta mulher. Muitas delas saem às 5h da manhã de casa e voltam às 22h. E 60% delas são arrimo de família e precisam do seu trabalho”, ressaltou a empresária.

Já a diretora executiva do Bradesco e membro do conselho de administração da Bovespa, Denise Parina aproveitou o ocorrido para destacar a importância do estimulo a igualdade entre homens e mulheres por parte de administradores de empresa, familiares e pela sociedade em geral. Para ela, a discussão do assunto e atitudes individuais são de extrema importância para o crescimento do público feminino.

Leia também: Pesquisa aponta que mulheres preferem carreira aos serviços domésticos

    Leia tudo sobre: Bovespa