A previsão de pouca chuva no mês de março fez Aneel colocar bandeira tarifária amarela, com cobrança de R$ 2 a cada 100 quilowatts/h de consumo

Brasil Econômico

Conta de luz fica mais cara ao consumidor a partir de março
iStock
Conta de luz fica mais cara ao consumidor a partir de março


A partir de março a bandeira tarifária na conta de luz entra na faixa amarela, o que significa cobrança extra de R$ 2 a cada 100 quilowatts- hora de consumo. A explicação para a cobrança extra, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é que a previsão de chuvas nos reservatórios das hidrelétricas para o mês de março ficou abaixo das projeções.

Leia também: Faltou energia? O que fazer se as compras estragaram e os aparelhos queimaram

A possibilidade de um nível de chuva menor no período faz com que seja necessária maior geração termelétrica como medida de preservação dos níveis de armazenamento das hidrelétricas e garantia de atendimento à carga do sistema. A medida gera cobrança extra na conta de luz do consumidor.  

No final do ano passado a bandeira tarifária era verde, sem que o consumidor tivesse custo extra em sua despesa. O sistema de bandeira tarifária foi instituído em 2015 para cobrir com os custos extras pela utilização de energia das usinas termelétricas.

A cor da bandeira é impressa na conta de luz – podendo ser vermelha, amarela ou verde – e indica o custo da energia em função das condições de geração de eletricidade. Em período de chuva prolongada, os reservatórios ficam mais cheios e não existe a necessidade de se produzir energia com termelétricas. Quando a chuva fica mais escassa, a bandeira tarifária passa para amarela ou vermelha, já que as termelétricas são acionadas.

Leia também: Procon: Consumidores serão ressarcidos em R$ 4 milhões por cobranças indevidas

Reajuste

Há pouco menos de duas semanas foi anunciado que a conta de luz terá novos valores este ano.  A bandeira amarela vai passar de R$ 1,50 para R$ 2 a cada 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. A bandeira vermelha patamar 1 fica inalterada, em R$ 3 para cada 100 kWh, e o valor da bandeira vermelha patamar 2 cairá de R$ 4,50 para R$ 3,50 a cada 100 kWh.

Os novos valores já foram aprovados pela Aneel e segundo o José Jurhosa, diretor da Aneel, as distribuidores pediram que um novo patamar fosse criado para bandeira amarela, porém foi entendido que não existe necessidade para tal mudança.

“Além do aspecto econômico, o sistema de bandeiras tarifárias tem caráter educativo, e é uma forma transparente de comunicar aos consumidores que as condições de geração de energia elétrica no país estão menos favoráveis, no caso de bandeira amarela, ou mais custosa, de acordo com o patamar de bandeira vermelha que é acionado”, explicou ele durante o anuncio das novas tarifas para conta de luz.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Por que alguns lugares usam eletricidade de 110v e outros de 220v?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.