As movimentações referentes às viagens internacionais, que inclui transporte, seguros e aluguel de equipamentos favoreceram o deficit

Brasil Econômico

O Banco Central (BC) divulgou nesta sexta-feira (17) um deficit de US$ 5,085 bilhões nas contas externas brasileiras. Embora os últimos indicadores econômicos tenham mostrado certa estabilidade, em janeiro de 2016 o saldo negativo foi menor, uma vez que ficou em US$ 4,817 bilhões.

LEIA MAIS: Corrupção deixa consumidor brasileiro menos confiante com a economia, diz estudo

Banco Central também registrou que o consumidor brasileiro gastou 87,95% a mais em janeiro de 2017  do que no mesmo período de 2016
Thinkstock/Getty Images
Banco Central também registrou que o consumidor brasileiro gastou 87,95% a mais em janeiro de 2017 do que no mesmo período de 2016

Esse valor registrado pelo Banco Central diz respeito a transações correntes, que inclui movimentações financeiras de compras e vendas, serviços e transferências de renda do Brasil com outras nações.

Outro setor que apresentou saldo negativo foi o balanço referente à conta de renda primária, que abrange lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários, que apontou para uma baixa de US$ 5,344 bilhões, também em janeiro de 2017.

As movimentações referentes às viagens internacionais, que pode incluir transporte, seguros e aluguel de equipamentos favoreceram o deficit de US$ 2,419 bilhões na categoria.

Saldos positivos                                                    

Os únicos setores que mostraram resultados positivos foi o de contas de renda securitária e a balança comercial, que respectivamente apresentaram um superávite de US$ 174 milhões de US$ 2,504 bilhões.

A primeira faz parte de capital gerado em uma economia e distribuída para outra, como exemplo podem-se citar doações e remessas de dólares.

LEIA MAIS: Dólar tem valorização e fecha o dia em R$ 3,08

Consumo no exterior

Embora o cenário econômico ainda seja de recessão política, o BC também divulgou nesta sexta-feira (17) que o brasileiro tem comprado mais no exterior.

O mais curioso é que os valores não são nada tímidos, uma vez que o valor gasto em outros países no mês de janeiro deste ano foi de US$ 1,578 bilhão. O que é 87,95% superior ao valor do mesmo período de 2016, quando o registro foi de US$ 840 milhões.

Em contrapartida o gasto de estrangeiros no Brasil não apresentou uma variação tão impactante e não foram suficiente para gerar um saldo positivo. Se em janeiro de 2016, a soma foi de US$ 650 milhões, neste ano a receita ficou em US$ 664 milhões.

Os números, segundo o Banco Central significam um valor negativo totalizado em US$ 914 milhões em relação às viagens internacionais.

LEIA MAIS: Prévia do PIB aponta queda de 4,55% em 2016, segundo o BC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.