Esta é a terceira queda seguida da taxa básica; redução tão significativa foi feita pela última vez em abril de 2012, quando a Selic caiu de 9,75% para 9%

Brasil Econômico

Na primeira reunião de 2017, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu, por unanimidade, reduzir a taxa básica de juros (Selic) pela terceira vez seguida, passando de 13,75% para 13% ao ano. O anúncio  supreendeu os analistas financeiros , que projetavam corte de 0,50 ponto percentual. A última vez que o Copom realizou uma redução tão significativa foi em abril de 2012, quando a taxa básica passou de 9,75% para 9%. 

Em nota, Banco Central afirmou que queda da taxa Selic foi causada por conta de atividade econômica abaixo do esperado
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Em nota, Banco Central afirmou que queda da taxa Selic foi causada por conta de atividade econômica abaixo do esperado

A decisão faz o índice chegar ao menor nível desde abril de 2015, quando estava em 12,75% ao ano. Em nota, o Banco Central afirmou que a decisão foi tomada com base em indicadores que apontam para uma atividade econômica abaixo do esperado. "A evidência disponível sinaliza que a retomada da atividade econômica deve ser ainda mais demorada e gradual que a antecipada previamente". Mantida em 7,25% ao ano, no menor nível da história, entre outubro de 2012 e abril de 2013, a Selic foi reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015.

Somente em outubro do ano passado que o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia. O índice é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação terminou o último ano em 6,29% , o menor nível desde 2013 (5,91%).

Até o ano passado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabelecia meta de inflação de 4,5%, com margem de tolerância de 2 pontos percentuais, podendo chegar a 6,5%. Para 2017, o CMN reduziu a margem de tolerância para 1,5 ponto percentual. Assim, a inflação não poderá superar 6% ao final deste ano.

+ Produção de petróleo sobe 0,75% e bate recorde em 2016, diz Petrobras

O objetivo do corte da taxa básica é estimular a economia. O índice é usado nas negociações de títulos públicos Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros do mercado. Ao aumentar o índice, o Banco Central torna o crédito mais caro e segura o excesso de demanda dos consumidores. Com juros menores, os níveis de produção e consumo em um cenário de baixa atividade econômica podem ser retomados, já que o crédito fica mais acessível, mas o controle da inflação fica enfraquecido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.