De acordo com uma pesquisa feita pela Serasa Experian, o sudeste continua liderando o ranking no País, com a criação de 883.219 novas empresas

Brasil Econômico

Serasa Experian registra a criação de 1.702.958 novas empresas no Brasil entre janeiro a outubro de 2016
iStock
Serasa Experian registra a criação de 1.702.958 novas empresas no Brasil entre janeiro a outubro de 2016

Um levantamento feito pela Serasa Experian mostrou que entre janeiro a outubro de 2016, 1.702.958 novas empresas foram criadas no Brasil. De acordo com o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresa, o resultado foi considerado o maior do período desde 2010. Se comparado aos 10 primeiros meses de 2015, período em que houve 1.691.652 nascimentos de empresas, a quantidade é considerada 0,7% superior. Porém, os avanços não se mantiveram por muito tempo, havendo queda de 1,8% em outubro de 2016, período o qual 159.991 novos negócios foram criados, resultado significantemente menor em comparação as 162.979 geradas em setembro do mesmo ano.

+ Consulta Serasa gratuita pelo celular? Agora é possível: veja serviço

Segundo economistas da Serasa Experian, o número recorde de criação de novas empresas foi evidenciado entre janeiro e outubro de 2016 devido ao chamado empreendedorismo de necessidade, que impulsionou a criação de novas empresas. Esse fenômeno é consequência do alto desemprego e das dificuldades econômicas em que o País se encontra. De acordo com a Serasa, já é possível notar o resultado oposto, uma vez que a desaceleração na criação de novos negócios está cada vez mais notável.

Natureza Jurídica 

Nos 10 primeiros meses de 2016, estima-se a geração de 1.344.539 novos microempreendedores individuais, número 4,2% maior se comparado aos 1.290.204 do mesmo período de 2015. A criação de 148.017 unidades foi registrada pelas Sociedades Limitadas, assim como a queda de 12,4% em relação ao intervalo anterior, período o qual 168.894 empresas se originaram.

O nascimento de empresas individuais caiu 21,1%, resultando na criação de apenas 113.237 novos negócios entre janeiro e outubro do ano passado, considerada essa a maior queda entre as naturezas jurídicas. Em contrapartida, o nascimento de novos negócios de outras naturezas aumentou 9,1%, com 97.165 criações nos primeiros10 meses do ano passado. Vale ressaltar que no mesmo período de 2015, foram contabilizados 87.600 nascimentos.

Registrado desde a série histórica do indicador, o desenvolvimento crescente na formalização dos negócios no País é responsável pela constante elevação dos microempreendedores individuais, que em um período de sete anos passaram de 48,1% dos novos empreendimentos, para 79% no último levantamento feito pela entidade. 

Empresas por Setor

Considerado o mais procurado para quem quer empreender, o setor de serviços registrou o surgimento de 1.068.965 novas empresas de janeiro a outubro de 2016, equivalente a 62,8% do resultado total. Em seguida estão as empresas comerciais, com 28,6% e cerca de 487.142 empresas criadas. E por fim o setor industrial, que originou 142.011 novos negócios, detendo 8,3% do resultado total.

 + Movimento do comércio tem queda de 6,6% em 2016; pior resultado em 16 anos 

Nos últimos seis anos tem-se observado o crescimento constante na participação de empresas de serviços no que se diz respeito às empresas originadas no Brasil, passando de 53% de janeiro a outubro de 2010, para 62,8% no mesmo período de 2016. Porém, o mesmo não ocorre com o setor comercial que decaiu de 35,6% de janeiro a outubro de 2010, para 28,6% no mesmo período do ano passado. Em relação à participação de novas empresas industriais, os resultados se mantiveram estáveis.

Empresas por Região e Estado

A região sudeste permanece liderando o ranking de nascimentos de empresas, com 51,9% do resultado total, ou seja, com a criação de 883.219 novos negócios entre janeiro e outubro de 2016. Em segundo lugar está o sul, com o nascimento de 286.115 novas empresas e cerca de 16,8% de participação. A região nordeste aparece na sequência, com a criação de 283.612 empresas, o que resulta em 16,7% do total. As regiões centro-oeste e norte ocupam as demais posições, com 147.939 e 81.014 empresas inauguradas e cerca de 8,7% e 4,8% do resultado total.

Se comparado ao período ente janeiro a outubro de 2016 e ao intervalo anterior, o sul é considerado a região que mais registrou nascimento de novas empresas, com alta de 2,7%, assim como o sudeste, que cresceu 1,4% no mesmo período. Nas regiões nordeste, norte e centro-oeste, o resultado obtido foi contrário, com quedas de 6,6%, 4,1% e 3,9%, respectivamente.

Variações Acumuladas

De acordo com a Serasa Experian, nos 10 primeiros meses de 2016, São Paulo foi considerado o Estado com maior registro de novos negócios, com 28,2% de participação e 481.047 nascimentos. Na sequência aparece Minas Gerais, com  a criação de 187.608 novas empresas e 11% do total. Em terceiro lugar está o Rio de Janeiro, com 184.867 novos empreendimentos e 10,9% de participação.

+ Demanda do consumidor por crédito cai 3,6% em setembro, aponta Serasa Experian

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.