Vendas no comércio caem 0,8% entre setembro e outubro em todo o País, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE

Agência Brasil

IBGE aponta que varejo não tem se recuperado e continua a apresentar queda nas vendas no País
Fernando Frazão/Agência Brasil
IBGE aponta que varejo não tem se recuperado e continua a apresentar queda nas vendas no País

As vendas no comércio brasileiro tiveram recuou de 0,8% entre setembro e outubro deste ano, conforme dados apurados pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgados nesta terça-feira (13), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  No ano, o setor acumula queda de 6,7% e, nos últimos 12 meses, de 6,8% , que segundo o IBGE é o recuo mais intenso deste indicador desde 2001.

+ Confira seis dicas para fidelizar clientes no varejo

A queda na passagem de setembro para outubro foi provocada por resultados negativos expressivos em três dos oito setores do varejo brasileiro, sendo eles: combustíveis e lubrificantes com queda de 1,7%, supermercados, alimentos e bebidas com retração de 0,6% e os artigos farmacêuticos com queda de 0,1%, informou o IBGE .

A PMC identificou ainda que as vendas de móveis e eletrodomésticos mantiveram-se estáveis no período analisado. Em quatro setores houve crescimento do volume de vendas com destaque para equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação  que tiveram alta de 7,1%, outros artigos de uso pessoal e doméstico  com alta de 0,8%, tecidos, vestuário e calçados com crescimento de 0,5% e livros, jornais, revista e papelarias que teve leve alta de 0,4%.

A receita nominal, sem descontar a inflação,  do comércio varejista recuou 0,5% de setembro para outubro e 0,2% na média móvel trimestral. No entanto,  avançou 1,9% em relação a outubro de 2015, 4,8% no acumulado de 2016 e 4,3% no acumulado de 12 meses, segundo o IBGE.

+ Varejo tem queda de 1,2% no movimento de consumidores, diz Serasa Experian

Varejo ampliado tem queda de 0,3%

Ao somar os setores de materiais de construção e veículos, identificados na categoria do varejo ampliado, o volume de vendas apontou leve queda de 0,3% na passagem de setembro para outubro. Os veículos, motos e peças acusaram redução de 0,3%, enquanto os materiais de construção tiveram um decréscimo de 4% nas vendas no período analisado pelo órgão.

O varejo ampliado recuou 0,8% na média móvel trimestral, 10% na comparação com outubro de 2015, 9,3% no acumulado do ano e 9,8% no acumulado de 12 meses. A receita nominal do varejo ampliado também caiu em todos os tipos de comparação temporal: outubro em relação a setembro (-0,5%), média móvel trimestral (-0,4%), outubro deste ano em relação ao mesmo período do ano passado (-2,7%), acumulado do ano (-0,8%) e acumulado de 12 meses (-1,4%).

Resultado por regiões

Outro dado analisado pela PMC ,do IBGE, apontou que de setembro para outubro 15 Estados tiveram retração nas vendas do comércio, com destaque para os piores resultados em: Roraima (-1,9%), Piauí e Amapá (ambos com -1,7%). Cresceram as vendas do Acre (2,3%) e de Rondônia (1,7%).

Na comparação com o ano passado, o comércio da maioria dos estados também vendeu menos, sendo as maiores quedas apuradas na Paraíba com retração de 18,7% e do Amapá com saldo negativo de 16,9%.

+ Supermercados acumulam o maior índice de perdas do varejo, aponta SBVC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.