Não sabe como driblar a inflação e esticar o salário? Veja dicas!

Por Mayara Moraes - Brasil Econômico

compartilhe

Tamanho do texto

Cortes simples na alimentação, no transporte e no consumo de energia podem fazer a diferença no final do mês

Em momentos de crise econômica é importante adotar medidas para driblar a inflação e evitar o endividamento. Mas como é possível se adequar a essa realidade e fazer o salário render mais? O iG separou algumas dicas simples que podem te ajudar  a administrar as finanças pessoais, sem que você precise recorrer ao crédito.

Evitar comer fora e ir ao shopping podem fazer diferença em épocas de crise
Arquivo/Agência Brasil
Evitar comer fora e ir ao shopping podem fazer diferença em épocas de crise

Antes de tudo, monte uma planilha para que você estruture seus sonhos e seus gastos. Dessa forma, você conseguirá visualizar em quais pontos você, efetivamente, precisará ou poderá economizar.  Como, por exemplo, na moradia. Esse é o melhor momento para pedir um abono e renegociar o preço do aluguel.

“Quem tem financiamento imobiliário, pode também checar a possibilidade de expandir o prazo, sem mudanças na taxa de juros”, aponta a professora de finanças da Fundação Getúlio Vargas, Myrian Lund.

Rever as contas de internet, TV a cabo, telefone fixo e móvel também é importante. Priorize o que você usa mais! Será que você realmente usa todos os canais da TV a cabo? Se você usa pouco, mas gosta muito de cinema, por exemplo, por que não cortar esse gasto e assinar um provedor de filmes e séries de TV via streaming? É muito mais barato.

Graças aos aplicativos de celular, temos usado cada vez menos o telefone móvel para fazer ligações. “Então, reduza seu plano ao máximo! Ao invés de usar toda a sua franquia, você pode aumentar um pouco a sua internet e reduzir seu telefone, assim, você continua falando com todo mundo, mas com um gasto muito menor", aconselha Lund.

A conta de luz, de acordo com o coordenador do laboratório de finanças do Insper, Michel Viriato, pode sofrer uma redução de até 2% com a adoção de uma medida simples: desconectar aparelhos eletroeletrônicos das tomadas. 

Outra dica é acessar os jornais digitais em vez de comprar os periódicos impressos, especialmente se você tem tempo de ler apenas as manchetes. Se você gosta de estar antenado e saber o que está acontecendo no Brasil e no mundo, você pode definir sites de jornais e portais de notícias como sua home page. “Você consegue atingir o mesmo objetivo e sai muito mais barato”, acrescenta Lund.

Você conta com os serviços de uma empregada doméstica diariamente? Que tal contratar uma diarista duas vez por semana? Dessa maneira, você não tem de arcar com custos adicionais, já que não é necessário pagar todos os encargos de uma empregada doméstica.

Você está enfrentando dificuldades para pagar o condomínio? Lançar sua candidatura para síndico do prédio na próxima eleição pode ser uma saída. A maior parte dos edifícios não cobra condomínio de seus síndicos! Outra dica importante é verificar junto da administração do prédio onde você vive o modelo e a amplitude do seguro residencial adotado pelo condomínio, assim como os seus direitos essenciais. Se o seu prédio conta com um seguro de conteúdo, você não precisar arcar com os custos de consertos de aparelhos domésticos, danos materiais causados por incêndio, raio, explosão e entupimento, por exemplo.

Supermercado
Quanto o assunto é compras de supermercado, a dica mais valiosa continua sendo a de aproveitar as promoções. “Não faça estoque, porque sempre haverá promoções interessantes, especialmente na segunda semana do mês”, indica Lund.

“Os supermercados perceberam que o movimento se concentrava no início do mês e que depois do dia 15, ele caía; percebendo essa tendência, eles passaram a disponibilizar mais promoções na segunda semana do mês”.

Michel Viriato, dá ainda outro conselho: "procure optar por frutas da temporada e rever as marcas que você usa habitualmente". Segundo ele, adotar esses hábitos pode resultar em uma economia de até 5% na conta do supermercado.

E não se engane com os mercados que têm fama de vender mercadorias a preços altos. “Com a crise, eles estão hoje reduzindo aqueles valores excessivos e organizando promoções para manter a clientela, portanto não despreze esses estabelecimentos, busque na internet os preços dos produtos que você precisa comprar em mais de três locais diferentes”, ressalta a professora.

E por último, mas não menos importante, defina o quanto você quer e pode gastar antes de sair de casa.

Transporte

Pesquise os custos dos serviços de transporte particular, pois há alternativas ao tradicional táxi. Mas cuidado: “Esses meios de transporte viciam, depois que você pega esse tipo de condução pela primeira vez você quer pegar sempre, cuidado para não virar hábito”, alerta a professora.

Buscar formas alternativas de condução também é uma boa opção. Avalie quais trajetos você pode fazer caminhando ou pedalando. Além de ser mais barato, faz bem à saúde.

Não sabe se deve manter o automóvel? “Um carro popular de R$ 30 mil custa, em média, R$ 1 mil por mês, considerando os gastos com IPVA, seguro, depreciação, combustível, estacionamento e manutenção”, observa Lund.

Portanto, se você tem carro, avalie se esse meio de transporte é realmente o mais indicado para as suas necessidades e, principalmente, para o seu bolso. Usar o transporte público pode valer mais a pena.

Saúde

Quando se trata de cuidados médicos, não economize. Mas também não marque bobeira. Não adianta pagar plano de assistência médica e plano odontológico, se você vive pagando por serviço particular.

Se você faz uso de medicamentos contínuos, cadastre-se no junto ao fabricante, dessa forma você pode conseguir reduções significativas.

Não abra mão das atividades físicas. Se nesse momento é complicado manter o plano da academia, explore as opções disponibilizadas pelo condomínio em que você vive e pelos parques públicos. 

Educação

Se você está tendo dificuldades em manter os filhos na escola particular, não tome nenhuma atitude precipitada. “Antes de muda-los de colégio, tente renegociar a mensalidade; lembre que não é interessante para a escola perder um aluno”, lembra Lund.

Comprar o material escolar dos filhos em grupo e antes do novo ano letivo é uma boa opção para quem quer economizar
Arquivo/Agência Brasil
Comprar o material escolar dos filhos em grupo e antes do novo ano letivo é uma boa opção para quem quer economizar

Os pais sabem como são caras as compras de material escolar, então atenção. Temos uma dica que pode ser muito útil para o próximo ano letivo. Faça a compra do material escolar em grupo, junto de outros pais, e até 31 de dezembro, ou seja, no período de renovação escolar. Durante esse período, as livrarias dão desconto para compras coletivas!

Lazer e despesas pessoais

Está louca para comprar aquele vestido ou aquele sapato que você viu na vitrine? Controle-se.  Adie as comprar para o mês do seu aniversário, porque nesse período a maioria das lojas oferecem desconto de até 10%.

Não compre o que não é necessário. “É preferível ter um guarda-roupa com poucas roupas, mas de boa qualidade, a colecionar várias peças, mas que são de baixa qualidade - não se esqueça de que o ‘baratinho’ somado se torna muito.

Evite ir ao shopping e evite comer fora! “Ir ao shopping é um gatilho”, explica Lund. Em troca, faça as refeições em casas de amigos. Além de ser mais econômico (cada um pode preparar um prato), é uma forma de reforçar o convívio entre pessoas queridas.

"Leve o lanche ou almoço de casa para o serviço, dessa maneira, você pode economizar até R$10, por dia, cerca de R$200, por mês", acrescenta Viriato. Se não for possível levar ao trabalho alimentos de casa, pode ser uma boa ideia frequentar restaurante onde o quilo seja mais barato.

Não pague tarifas desnecessárias

Evite entrar no crédito especial, e se você não tiver interesse em usá-lo, peça seu cancelamento. Mantenha uma conta que seja essencial para não pagar tantas tarifas. “O Banco do Brasil disponibiliza pacotes essenciais aos bancos, pacotes que eles são obrigados a oferecer e que não dão direito à crédito. Se você não vai pagar crédito, então vale a pena usar a anuidade zero”, aconselha.

Não esqueça também de verificar a anuidade do seu cartão de crédito. Hoje há muitos cartões que não cobram a taxa. Procure por eles!

Confira dicas para comprar mais barato e escapar da crise

Se possível, espere pela segunda metade do mês. Às vezes, as lojas cobram até 30% a mais na primeira quinzena. Foto: iStockTambém é possível negociar pela internet. Procure os sites que possuem canal de atendimento e converse com um vendedor. . Foto: iStockSe o dinheiro estiver disponível, pagar à vista pode ser vantajoso, já que as lojas costumam oferecer bons descontos nestes casos . Foto: iStockCom tantas opções, é tentador sair gastando sem pensar. Planeje e evite desperdício de tempo e dinheiro nas compras online. Foto: iStockAs redes sociais das empresas também costumam apresentar boas ofertas para os seus seguidores . Foto: iStockCadastrar o e-mail para receber promoções pode ser uma boa. Apenas tome cuidado com as empresas que costumam inundar a caixa de entrada. Foto: iStockEm algumas ocasiões, é possível economizar até 70% com cupons de desconto . Foto: iStockHá lojas que oferecem ofertas exclusivas para os clientes de programas de fidelidade . Foto: iStockAntes de finalizar a compra, preste atenção no frete. Procure lojas que oferecem frete com valores baixos ou até gratuito . Foto: iStockSe o dinheiro estiver disponível, pagar à vista pode ser vantajoso, pois as lojas costumam oferecer bons descontos . Foto: iStock


Leia tudo sobre: inflaçãoorçamentosaláriodepesacorteeconomia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas