Confiança do empresário industrial cresce pelo segundo mês consecutivo

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Apesar do aumento, indicador, que varia entre zero e 100, ainda mostra pessimismo por parte do empresariado

teste script

Agência Brasil

Confiança do empresário aumenta em fevereiro
iStock
Confiança do empresário aumenta em fevereiro


A confiança do empresário industrial cresceu pelo segundo mês consecutivo, informou hoje (22) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice de Confiança do Empresário Industrial medido pela entidade aumentou 0,6 ponto em fevereiro na comparação com janeiro, alcançando 37,1 pontos. De dezembro para janeiro, já havia sido registrada alta de 0,5 ponto.

Apesar da elevação, o indicador ainda mostra pessimismo do empresariado. De acordo com a metodologia da pesquisa da CNI, o índice varia de zero a 100 e, quanto mais abaixo de 50 pontos ficar, mais negativa é a percepção do setor privado. O índice de confiança começou a cair em 2014. A trajetória descendente continuou em 2015, mas, em alguns meses do ano passado, houve recuperação.

Segundo a CNI, “está em curso uma trajetória de crescimento do índice, mas ainda é cedo para afirmar que haverá uma reversão no quadro de confiança”. A entidade destacou, ainda, que mesmo crescendo, o indicador “permanece muito baixo, 12,9 pontos abaixo da linha divisória entre confiança e falta de confiança”.

Grandes empresas

A alta da confiança este mês foi liderada pelas grandes empresas. Segundo a pesquisa, o índice de confiança entre as grandes indústrias passou de 37,6 a 38,6 pontos entre janeiro e fevereiro, ou seja, cresceu 1 ponto. Entre as médias empresas do setor, a alta foi de 35,5 para 35,8, ou de 0,3 ponto. Por fim, entre as pequenas empresas industriais, a confiança subiu de 35,1 para 35,5 ponto, o equivalente a um aumento de 0,4 ponto.

Na classificação por segmento industrial, a indústria extrativa apresentou o menor pessimismo, com o indicador de confiança em 41,4 pontos. A indústria da construção foi a mais pessimista, registrando 36,4 pontos em fevereiro. Para a pesquisa, a CNI ouviu 3.070 empresas entre 1º e 18 de fevereiro. Dessas, 1.212 são pequenas, 1.157 são médias e 701 são de grande porte.

Leia tudo sobre: Empresários

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas