Gambás temperados são encontrados em restaurante em Florianópolis

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Animais estavam em congelador junto com outros alimentos; outros dois gambás vivos foram encontrados presos no local

Gambás estavam temperados e armazenados em congelador junto com outros alimentos
Divulgação/Secretaria Municipal da Saúde de Florianópolis
Gambás estavam temperados e armazenados em congelador junto com outros alimentos

A Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina apreendeu na última quarta-feira (10) dois gambás congelados e temperados no restaurante Chalé do Camarão, na Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Dois gambás vivos também estavam presos em um congelador desligado.

Os animais congelados estavam armazenados junto a outros alimentos servidos no restaurante, como camarões e peixes. A Polícia chegou até o local a partir de uma denúncia de uma ex-funcionária do estabelecimento.

Restaurante fica na Lagoa da Conceição, famoso ponto turístico de Florianópolis
Reprodução/Google Maps
Restaurante fica na Lagoa da Conceição, famoso ponto turístico de Florianópolis

De acordo com a Polícia, uma armadilha para os animais foi encontrada nos fundos do restaurante. O proprietário e um funcionário do estabelecimento foram presos em flagrante e autuados por caça de animal silvestre. O crime pode dar prisão de seis meses a um ano. Eles assinaram um termo e responderão em liberdade. 

Além do crime ambiental, a presença dos gambás também é um problema de saúde pública. A Vigilância Sanitária foi chamada e lacrou o restaurante.

 Os animais vivos foram levados para consultas de veterinários e, em seguida, soltos no Parque do Rio Vermelho.

Veja na galeria abaixo objetos estranhos que foram encontrados na comida: 

Inglês só percebeu bolor no McMuffin após dar algumas mordidas no lanche. Foto: Reprodução/TwitterHomem encontrou larvas andando em sanduíche do McDonald's em Singapura.. Foto: Reprodução/TwitterFoto postada no perfil de Elis Silvestri, jornalista, mostra larva em prato que teria sido servido no Eataly de SP. Foto: Reprodução/InstagramQueijo provolone mofado era vendido em supemercado Extra. Foto: Divulgação/Polícia Civil de SP (08.04.2015)Consumidor achou uma barata em pizza e causa comoção na rede Domino's no Peru. Foto: Reprodução/BBC BrasilConsumidora que encontrou uma lagarta no sanduíche do McDonald's receberá indenização (fevereiro de 2015). Foto: DivulgaçãoCasal comprou leite moça, da Neslté, para fazer brigadeiro; embalagem tinha verme vivo. Foto: Reprodução/FacebookA jornalista Crislaine Coscarelli encontrou um pequeno flaconete – recipiente de plástico, que acompanha determinados medicamentos que necessitam ser solvidos em líquidos. Foto: Reprodução FacebookConsumidora de Alagoas encontrou larvas vivas em uma barra de chocolate Talento, da Garoto. Foto: Reprodução site Tenébrio MolitorRATO EM PIPOCA – Mãe e filho receberam R$ 10 mil em Minas Gerais por encontrar um rato morto em um pacote de pipoca doce. Foto: ThinkstockJustiça de Minas condenou engarrafadora da Coca-Cola a pagar multa de R$ 665.623,33 depois que consumidor encontrou algo parecido com um palito em uma embalagem plástica . Foto: ReproduçãoPerereca encontrada em refrigerante gerou indenização de R$ 5 mil. Foto: Trond LarsenConsumidor encontra corpo estranho que parece uma camisinha em chá . Foto: ReproduçãoCIGARRO EM REFRIGERANTE – Há cerca de um ano, uma mulher foi recompensada em R$ 8 mil por ter encontrado o objeto dentro de uma garrafa da bebida. Foto: ThinkstockPREGO EM CROISSANT – A rede de supermercados Zaffari foi condenada a indenizar um cliente em R$ 2 mil após ele encontrar um prego em seu croissant de calabresa. Foto: ThinkstockBARATA EM LANCHE – Em Fortaleza, o McDonald's foi condenado a pagar R$ 15 mil a uma mulher que encontrou pernas e asas de barata em seu cheeseburguer. Foto: ThinkstockVIDRO EM OVO DE PÁSCOA – A Nestlé foi condenada a indenizar em R$ 12 mil duas crianças que cortaram a boca ao ingerir o produto. Foto: ThinkstockUNHA EM BOLACHA – Uma consumidora venceu na Justiça paulista o direito a indenização por danos morais após encontrar um pedaço de unha no recheio de uma bolacha. Foto: ThinkstockMOSCA NO SALAME – A rede de supermercados Bistek foi obrigada a pagar R$ 20 mil a um homem que ofereceu fatias do produto contaminado pelo inseto a clientes de seu café. Foto: ThinkstockCARNE NA MARGARINA – Uma nutricionista processou uma marca de margarina após encontrar um pedaço de carne no produto, ao fazer uma receita. Foto: ThinkstockPAPEL DE BALA EM BEBIDA – Um homem recebeu R$ 6,6 mil da fabricante do guaraná Kuat após deparar-se com o objeto estranho em seu refrigerante. Foto: ThinkstockLARVAS EM BROA DE MILHO – Um supermercado paulista teve que pagar R$ 9,3 mil a uma cliente que ingeriu metade da criatura ao consumir o produto. Foto: Thinkstock






compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas