Construção civil fecha 483 mil vagas e volta ao patamar de emprego de 2010

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Setor fechou dezembro do ano passado com 2,835 milhões de trabalhadores, segundo pesquisa realizada pelo SindusCon-SP

A construção civil brasileira perdeu 483 mil postos de trabalho em 2015 e voltou ao patamar de emprego de cinco anos atrás. O setor encerrou o mês de dezembro com 2,835 milhões de trabalhadores formais, retornando ao nível registrado de maio de 2010. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (27) pelo pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Deteriorização do setor de construção civil foi observada em todas as regiões do País
Thinkstock Photos
Deteriorização do setor de construção civil foi observada em todas as regiões do País

Somente em dezembro, na comparação com o mês anterior, foi observada uma queda de 3,98% no nível de emprego, com o fechamento de 117,6 mil postos de trabalho, considerando os fatores sazonais. Desconsiderando tais efeitos, o número de vagas fechadas em dezembro foi de 10,5 mil (-0,36%).

“Esta queda livre do emprego é o resultado mais eloquente da falta de confiança mínima para que os agentes econômicos retomem suas decisões de investimento. Somente um esforço do Executivo e do Legislativo, com sinais inequívocos de seriedade fiscal e comprometimento com reformas, poderia começar a reverter este cenário, junto com medidas que estimulem o capital privado a investir na ampliação da infraestrutura”, avalia o vice-presidente de Economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan.

A deterioração do mercado de trabalho afeta todas as regiões do Brasil, sendo que os piores resultados foram observados no Norte (-6,45%), e no Centro-Oeste (-5,40%). Percentualmente, já que em números absolutos o Sudeste liderou, com menos 52.700 postos de trabalho formais.

Maior perda em números absolutos foi na região sudeste
Divulgação
Maior perda em números absolutos foi na região sudeste


São Paulo

Em 2015, a redução do número de empregados no Estado de São Paulo foi de 7,97% em relação ao mesmo período de 2014, sendo que o segmento imobiliário respondeu pelo pior desempenho (-10,32%). O estoque de trabalhadores caiu para 752,4 mil.

Em dezembro o emprego registrou queda de 3,08% em relação a novembro, considerando efeitos sazonais, com o corte de 23,9 mil vagas. Desconsiderando a sazonalidade, o declínio no período foi de 0,50% (-3.907 vagas).

Em 12 meses, entre as regionais, Presidente Prudente apresentou a maior queda, de 23,93%. Na capital, que responde por 46% do total de empregos no setor, a retração no mesmo comparativo foi de 11,73%.

Leia tudo sobre: construção civilquedaempregovagasdesemprego

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas