Franquia virtual é opção barata para trabalhar em casa

Por Gustavo Mause , especial para o iG

compartilhe

Tamanho do texto

Investindo de R$ 4 mil a R$ 30 mil, empreendedor não gasta com estrutura e tem suporte de marca já estabelecida para vender; parte do faturamento é dividida com franqueador

Investir em franquias virtuais pode ser uma boa alternativa para quem deseja trabalhar por conta própria e não possui muito capital. O mercado é extenso, com opções de baixo custo, que exigem investimentos que podem variar de R$ 4 mil a R$ 30 mil – já incluindo as taxas de franquia, capital para instalação e capital de giro. 

Veja na galeria franquias virtuais para trabalhar em casa: 

ELEFANTE VERDE: guia que reúne empresas, com dicas de descontos e opiniões de usuários. Oferece também serviços para pequenas empresas e autônomos que desejam atuar na internet e alcançar novos clientes, com diversas ferramentas de marketing digital. Investimento: à partir de R$ 14 mil. Faturamento médio mensal: R$ 25 mil. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃOAHOBA VIAGENS: Venda de pacotes de turismo para destinos nacionais e internacionais. O franqueado recebe treinamento para fazer atendimento por meio de vídeo-chat. Investimento: à partir de R$ 4.500. Faturamento médio mensal: não informado. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃOSEU EVENTO: funciona como guia online de fornecedores para organização de eventos variados, como festas infantis, confraternizações de empresas e casamentos. O franqueado recebe orientações de marketing e suporte para implementação do site. Investimento: à partir de R$ 10 mil. Faturamento médio mensal: R$ 15 mil. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃOZETS: loja virtual que vende produtos de vários segmentos, de moda e acessórios à telefonia e celulares. O franqueado gere e administra o e-commerce, mas não precisa se preocupar com processamento de pedidos, logística e transporte: tudo é responsabilidade da franqueadora. Investimento: R$ 20 mil. Faturamento médio mensal: R$ 10 mil. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃOHELP HOME: oferece serviços de manutenção, reparos, jardinagem e decoração. Atende residências, condomínios e empresas. Investimento: em torno de R$ 20 mil. Faturamento médio mensal: R$ 50 mil. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃOGUIA-SE: Focado em marketing digital, com criação de site, desenvolvimento de loja virtual e mídias sociais. Investimento: à partir de R$ 27.900. Faturamento médio mensal: R$ 15 mil. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃOAUTO BRASIL: oferece serviços automotivos, como assistência 24 horas, reparos e rastreamento de veículos. O franqueado já recebe um site pronto, com suporte para operação. O envio de produtos é feito da central para o cliente. Investimento: R$ 6.000 a 7.500. Faturamento médio mensal: R$ 50 mil. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃOCAMISA DA HORA: o franqueado recebe tem uma loja virtual própria, com o nome que desejar, para vender os produtos da marca. Não é necessário estoque; os pedidos são enviados para o centro de distribuição da franquia, que faz a entrega para os clientes. Investimento: a partir de R$ 4.500. Foto: DIVULGACAO/REPRODUÇÃO

******************************************************************************************************** 

Adquirindo uma franquia online, o empreendedor tem direito ao uso de imagem da marca e à comercialização de seus serviços ou produtos, pagando uma parte do faturamento ao detentor – geralmente por meio de royalties e, às vezes, com taxas de publicidade. 

Leia tambémEx-pedreiro fatura R$ 300 milhões com loja virtual de ar-condicionado

“As franquias virtuais são uma grande vantagem para quem não dispõe de muito capital, já que não há necessidade de se gastar muito com infraestrutura. Não precisa alugar imóvel e gastar com móveis e decoração para o escritório. O empreendedor também terá o ‘know how’ e o suporte de empresas já estabelecidas”, afirma José Rubens Oliva Rodrigues, diretor de microfranquias da ABF (Associação Brasileira de Franchising). 

Vasto em crescimento, o mercado tem opções de investimento em diversos setores, desde venda de produtos variados, como roupas e eletrônicos, até serviços de marketing digital e criação de lojas online (confira algumas opções na galeria). Para fazer a escolha certa, é importante pesquisar com atenção e se identificar com o segmento. 

O retorno financeiro pode ser vantajoso, desde que alguns pontos sejam alinhados. Segundo Rodrigues, possuir “sangue empreendedor” é necessário, mas a identificação com o perfil do negócio também é fundamental. “É importante gostar do segmento e conhecer a cultura da empresa com a qual você irá se associar. Não basta dispor do capital para investir. A maneira mais fácil de fracassar é escolher a sua franquia pensando somente no valor de investimento”, alerta. 

O especialista indica alguns pontos que devem ser observados antes de se tomar uma decisão: “O franqueado deve ler a Lei do Franchising (Lei 8.955/94), que é muito simples e está disponível na internet. A franqueadora, baseada na lei, precisa ter a COF (Circular de Oferta de Franquia), com histórico do negócio, forma societária, contratos com todos os outros franqueados e os últimos dois balanços financeiros”. 

“Ter o selo de excelência de Franchising, entregue pela ABF, também é essencial. Com essa garantia, o interessado pode ficar tranquilo”, completa Rodrigues.

Regras para trabalhar em casa 

Apesar das facilidades de se trabalhar de casa, poupando não somente investimento em infraestrutura, mas também em tempo, o sucesso do franqueado virtual depende, além do planejamento adequado, de outro importante fator: disciplina. 

Trabalhar em casa exige disciplina e planejamento do franqueado
iStock
Trabalhar em casa exige disciplina e planejamento do franqueado

De acordo com Estevan Pavarin, fundador da Help Home, franquia de manutenção e reparos domésticos, ter uma rotina de trabalho e procurar aproximar o ambiente doméstico de um local de trabalho são atitudes que impactam no desempenho do empreendedor e podem definir realmente se o negócio irá prosperar. 

“É recomendável utilizar um local isolado dentro da casa, com uma escrivaninha e computador, como se estivesse em um escritório. Não é legal nem produtivo trabalhar sentado no sofá ou na mesa onde se fazem as refeições. Vestir-se como se estivesse indo para um escritório é uma boa ideia, além de respeitar uma carga horaria, inclusive com um horário pré-determinado de pausa para o almoço”, conclui.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas