Com contas bloqueadas, BBom deposita R$ 2,5 milhões para mulher de diretor

Por Vitor Sorano - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Procuradora da República diz que objetivo era driblar congelamento; presidente nega

Divulgação
Logotipo da BBom, empresa de marketing multinível suspeita de ser pirâmide financeira

O Grupo BBom, que está com as contas congeladas pela Justiça por suspeita de ser uma pirâmide financeira, depositou R$ 2,5 milhões na conta da mulher do diretor de marketing da empresa, Ednaldo Bispo.

Para o Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO), que fez a denúncia, tratou-se de uma tentativa de furar o bloqueio de verbas determinado em julho pela 4ª Vara da Justiça Federal em Goiás.

"Todas as contas da empresa estão com determinação de bloqueio. Eles [responsáveis pela empresa] tentaram sacar transferindo o dinheiro para a conta dela", disse ao iG a procuradora da República que atua no caso, Mariane de Mello. O saque foi barrado pela Justiça. 

João Francisco de Paulo, presidente da Embrasystem – dona da marca BBom –, diz que os recursos bloqueados dizem respeito ao pagamento de serviços prestados por Bispo. 

"É caluniosa essa notícia [de desvio]", diz Paulo ao iG.  "Eu peguei dinheiro emprestado [para pagar Bispo]."

Em nota, a Embrasysteminformou ainda que Bispo possui uma conta conjunta com a esposa, e que nesta quarta-feira (14) entregará à Justiça informações sobre o fato.

"A Embrasystem reitera que continuará buscando as vias judiciais para fazer valer os seus direitos", diz o texto.

300 mil associados em meses

Surgida em fevereiro, a BBom é apresentada como braço de marketing multinível da Embrasystem, que atua no ramo de rastreadores. Com a promessa de lucros com a revenda desse tipo de equipamentos, em poucos meses o negócio  atraiu em questão de meses cerca de 300 mil associados, que pagaram taxas de adesão de R$ 600 a R$ 3 mil.

Para o MPF-GO, porém, o esquema é uma pirâmide financeira pois o negócio se sustentaria com as taxas de adesão, e não da venda de rastreadores. O MPF-GO diz que a Embrasystem vendeu 1 milhão de rastreadores, mas só comprou 69 mil de seu principal fornecedor, que tinha apenas 16 mil para pronta entrega.

Em 10 de julho, foram bloqueadas as contas da Embrasystem, que usa os nomes fantasias BBom e Unepxmil, e da BBrasil Organizações e Métodos LTDA, além dos sócios proprietários. Ao todo R$ 300 milhões foram congelados.

Mariane, do MPF-GO, informou que por questão de sigilo não poderia dizer se os R$ 2,5 milhões depositados na conta de Cristina Dutra Bispo, mulher de Bispo veio de uma dessas contas bloqueadas ou de alguma outra.

"O que posso lhe dizer é que esse dinheiro saiu do grupo Embrasystem. É dinheiro do consumidor, que deveria ser devolvido para o consumidor e que o grupo tentou sacar em benefício próprio", diz a procuradora da República.

O flagrante fez com que também as contas de Bispo e da mulher fossem congeladas, segundo a procuradora da República.  "Outros gerentes ou empregados ou grandes divulgadores fizerem a mesma coisa vão sofrer a mesma consequência  e poderão vir a responder como réus."

O MPF-GO informa que o objetivo do congelamento é garantir o ressarcimento dos associados que investiram na BBom. Uma ação civil pública nesse sentido foi protocolada no início do mês de agosto, mas ainda não tem data para ser julgada.

Telexfree também foi acusada

Sujeita ao mesmo tipo de bloqueio desde junho, também por suspeita de ser uma pirâmide financeira, a Telexfree – que alega atuar no mercado de telefonia VoIP – também foi acusada de ter tentado desviar recursos logo após o congelamento.

No dia 19 de junho, um dia depois de a Justiça do Acre determinar o congelamento dos recursos da Ympactus Comercial LTDA (razão social da Telexfree), os responsáveis pela empresa tentaram transferir R$ 101 milhões a duas outras companhias do mesmo grupo. A ação foi barrada por nova decisão judicial.

O advogado da Telexfree, Horst Fuchs, argumentou à época que as transferências eram legais e diziam respeito ao pagamento de serviços e à expansão da estrutura da empresa.

Leia tudo sobre: BBompirâmide financeiratelexfree

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas