Shell declara força maior em operações na Nigéria

Danos causados por roubos em campos de petróleo da empresa motivaram anúncio

Reuters |

Reuters

A Royal Dutch Shell declarou estado de força maior em suas operações de exportação de petróleo de Bonny e Forcados por razões que incluem danos causados por roubo, disse a empresa nesta segunda-feira, o que potencialmente afeta mais de um quinto das exportações de petróleo da Nigéria.

"A Shell declarou força maior às 14 horas do dia 19 de outubro em Bonny e Forcados", disse um porta-voz da Shell.

Bonny Light e Forcados são dois dos mais importantes campos de petróleo da Nigéria e em outubro eles exportaram em média 427 mil barris por dia, de um total de 2,048 milhões de barris diários exportados pelo país.

O porta-voz disse que carregamentos de Forcados foram afetados por danos causados por suspeita de "bunkering" - termo utilizado para o roubo de petróleo - no oleoduto Trans Forcados Pipeline e na rota Brass Creek.

"Carregamentos em Bonny estão afetados pelo adiamento de produção causados pelo incidente de fogo em um navio de abastecimento na rota Bomu-Bonny, e queda de produção terceirizada por causa das inundações", disse em um comunicado.

Esforços estão sendo feitos para reparar os oleodutos, logo que possível, disse o comunicado.

A unidade nigeriana da Shell fechou seu oleoduto Bonny e reduziu em 150 mil barris por dia sua produção depois que ladrões de petróleo causaram um incêndio, disse a empresa no final de setembro.

Leia tudo sobre: NEGOCIOSENERGIASHELLNIGERIA

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG