Carga tributária francesa deve ser reduzida em 2015, diz ministro

Para Jerome Cahuzac, famílias e empresas francesas podem esperar impostos mais baixos em dois anos

Reuters |

Reuters

PARIS, 30 Set (Reuters) - As famílias e empresas francesas podem esperar impostos mais baixos em dois anos, mas escolhas difíceis para corrigir um sistema de bem-estar endividado ainda são necessárias, disse o ministro do Orçamento da França, Jerome Cahuzac, neste domingo.

O governo socialista apresentou um difícil orçamento para 2013 na sexta-feira, que impõe taxas superiores a empresas e um imposto de 75 por cento sobre os super-ricos, mas não reduz os gastos públicos, para o desespero de empresários e a maioria dos economistas.

Cahuzac, o homem forte por trás de um orçamento que procura recuperar uma receita extra de 30 bilhões de euros para o Estado, disse que os impostos não subiriam em 2014 e poderiam começar a cair no ano seguinte, se as condições econômicas permitirem.

"Nós enfrentamos dois anos difíceis, indiscutivelmente, muito difíceis ", disse Cahuzac à rádio Europe 1. "Mas não haverá um maior esforço fiscal depois disso...A partir de 2015 esperamos reduzir taxas obrigatórias."

Cahuzac disse que o governo permanece comprometido com meta de 0,8 por cento de crescimento econômico no ano que vem, assim em como reduzir o déficit para 3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013, reequilibrando o orçamento em 2017.

No entanto, ele alertou que a economia pode não se tornar mais competitiva até que a França adote escolhas difíceis sobre como seu sistema de bem-estar é financiado, com sacrifícios necessários para levar o país a alcançar a maior potência europeia, a Alemanha.

(Reportagem de Nicholas Vinocur)

Leia tudo sobre: FRANCAcrise

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG