Ajuda à Grécia será decidida após relatório conjunto do FMI e União Europeia

O Ministério das Finanças da Alemanha reiterou hoje que o governo do país precisa esperar pelo relatório dos inspetores da União Europeia, do Banco Central Europeu (BCE) e do FMI antes de decidir se a Grécia pode ou não receber a próxima parcela do programa de ajuda financeira

Agência Estado |

Agência Estado

O Ministério das Finanças da Alemanha reiterou hoje que o governo do país precisa esperar pelo relatório dos inspetores da União Europeia, do Banco Central Europeu (BCE) e do FMI antes de decidir se a Grécia pode ou não receber a próxima parcela do programa de ajuda financeira.

A declaração se segue a informes que circularam na imprensa alemã, de que a Grécia receberá a próxima parcela do programa de ajuda em outubro, apesar de não ter cumprido todas as exigências em termos de reformas econômicas e medidas de austeridade.

O porta-voz do Ministério das Finanças alemão, Martin Kotthaus, disse à Dow Jones que nada mudou em relação á Grécia e que o governo da chanceler Angela Merkel vai esperar pelo relatório dos representantes da troica antes de tomar qualquer decisão. "Qualquer outra coisa não seria apropriada", afirmou o porta-voz.

Segundo a revista semanal Wirtschaftswoche, já estão em andamento em Bruxelas os preparativos para assegurar que a Grécia receba a próxima parcela do programa de ajuda, apesar da perspectiva de que o relatório da troica diga que o país não cumpriu as metas. A revista Focus publicou reportagem com o mesmo conteúdo.

Já o jornal Welt am Sonntag disse que os governos dos países da zona do euro estão estudando um relaxamento das exigências feitas à Grécia. Sem a próxima parcela do programa de ajuda, a Grécia poderá ser forçada a emitir notas promissórias para pagar suas dívidas domésticas - o que, na prática, obrigaria o país a deixar a união monetária europeia. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: gréciacrise

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG