Em discurso na ONU, Dilma ataca mais uma vez invasão de dólares

Presidenta abre discurso falando da crise global e critica política monetária expansionista dos bancos centrais de países desenvolvidos que, diz, agravam o quadro recessivo global

iG São Paulo | - Atualizada às

"A crise econômica global ganhou novos e inquietantes contornos". Foi dessa maneira que a presidenta Dilma Rousseff abriu seu discurso na ONU na 67ª Assembleia Geral da ONU, realizada nesta terça-feira. 

A presidenta criticou mais uma vez as políticas monetárias expansionistas que desequilibram as taxas de câmbio e agravam, em sua opinião, em vez de ajudar o quadro recessivo global. 

Veja também: Dilma faz discurso de abertura da 67ª Assembleia Geral da ONU

Para Dilma, a política expansionista adotada por bancos centrais de países desenvolvidos afeta as economias emergentes como o Brasil.

A presidenta disse também que a política monetária não deve ser a única resposta para enfrentar o aumento do desemprego. Para Dilma, é urgente a construção de um pacto pela retomada coordenada do crescimento econômico global.

Dilma criticou os países que optam por políticas fiscais ortodoxas sem estímulos ao investimento que possam garantir o crescimento. A presidenta defendeu o conceito de "legítima defesa comercial" dos países em desenvolvimento que, segundo ela, não pode ser confundido com protecionismo.

Segundo a presidenta, políticas ortodoxas estão agravando a crise e as lideranças do "mundo desenvolvido ainda não encontraram um caminho" do crescimento. Dilma afirmou ainda que a política monetária não pode ser a única resposta para os problemas que afetam as camadas mais vulneráveis, entre eles o desemprego.

Na opinião da presidente, "não haverá resposta" para a crise enquanto "não se intensificarem os esforços de coordenação".

Com agências


Leia tudo sobre: Dilma RousseffONUtsunami cambial

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG