Espera por BC trava negócios e dólar oscila pouco

Moeda norte-americana fecha em alta de 0,21%, cotada a R$ 2,027

iG São Paulo |

A sessão no mercado de câmbio doméstico foi marcada nesta quarta-feira pela fraca volatilidade do dólar ante o real, que refletiu em parte o comportamento quase 'lateral' da divisa dos EUA ante o euro e moedas ligadas a commodities.

No exterior, o dólar só mostrou uma queda mais consistente diante do iene, reagindo à intervenção do Banco Central do Japão no mercado. Aqui, o dólar à vista moveu-se dentro do patamar de R$ 2,02 o tempo todo, enquanto o contrato futuro para outubro de 2012 rondou entre R$ 2,02/R$ 2,03. O volume de negócios manteve-se baixo.

O estreito vaivém das cotações locais do dólar respondeu ao fluxo cambial diário pequeno, além da persistente expectativa sobre um eventual leilão de swap reverso do Banco Central (equivalente à compra de dólar no mercado futuro), segundo os agentes de câmbio. Pelo segundo dia seguido, a autoridade monetária não atuou no câmbio, após uma sequência de aparições entre os dias 11 e 17, seja por meio de consulta sobre eventual demanda por dólar ou pela realização, de fato, pela operação.

"A incerteza sobre a entrada do BC no mercado ajuda a travar os negócios", afirmou o operador José Carlos Amado, da Renascença Corretora. Para ele, o BC ficou fora nesta terça-feira e quarta porque o dólar encontra-se em um patamar de preço confortável, uma vez que os próprios investidores estão respeitando o piso informal de R$ 2,02. Segundo Amado, a ausência momentânea do BC também pode ser estratégica, porque a autoridade não deseja fixar um preço para sua entrada no mercado, evitando assim a previsibilidade de suas intervenções.

O dólar à vista encerrou com leve alta de 0,21%, a R$ 2,0270 no balcão, após oscilar entre R$ 2,0206 (estável) e R$ 2,0250 (+0,15%). Na BM&FBovespa, o dólar spot terminou com queda de 0,08%, a R$ 2,0233. O giro total registrado na clearing de câmbio até 16h48 somava US$ 1,687 bilhão (US$ 1,442 bilhão para liquidação em dois dias D+2).

No segmento futuro, no mesmo horário, o dólar que vence em 1º de outubro de 2012 ganhava 0,07%, a R$ 2,0290. Esse vencimento moveu-se apenas 0,22%, entre R$ 2,0255 (-0,10%) e R$ 2,030 (+0,12%). Com essa baixa variação de preço, o player estrangeiro ficou fora do mercado, já que praticamente não há espaço para arbitragens. 

Com Agência Estado e Reuters


Leia tudo sobre: dólarcotação

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG