esforço imenso , diz presidente Lula - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

1º trimestre de 2009 será de esforço imenso , diz presidente Lula

BRASÍLIA - . Durante a entrevista de fim de ano no Palácio do Planalto, o presidente Lula disse que o governo deve anunciar novas medidas para evitar problemas na economia no 1° trimestre de 2009, comentou sobre uma possível redução da taxa básica de juros e reafirmou que o governo trabalha com a hipótese de crescimento de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009.

Redação com Agência Estado |

 

Taxas de juros

O presidente Lula prevê uma redução da taxa Selic em 2009. A uma pergunta sobre o tema, ele disse que "obviamente" os juros devem cair. "Este é um ingrediente que acontece no início do ano que vem ou no ano que vem", disse.

Na entrevista, Lula, porém, disse que a condução até agora dos trabalhos do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, foi correta. "Até agora, a política monetária foi acertada. Mas, em época de crise, não pode ficar do mesmo jeito. Mas, o Meirelles é um homem inteligente e sabe fazer", disse.

Novas medidas

Na entrevista, Lula disse que não poderia antecipar as medidas. Ele explicou que, a partir do momento que faz um anúncio antecipado, a economia pára pois todos resolvem esperar as medidas. Lula disse que o Brasil é o mais preparado dos países do G-20.

"Tenho conversado com empresários, com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e tenho demonstrado minha preocupação com o primeiro trimestre do ano que vem", disse. "Vai ser o momento de um esforço imenso para não termos uma desaceleração das coisas. Se as coisas pararem, recomeçar do zero vai levar tempo. Talvez, a gente tome medidas para garantir investimentos no setor privado", continuou.

O presidente disse acreditar que a crise vai ser curta no Brasil e espera que, entre junho e julho, haja uma normalização nos Estados Unidos e na União Européia. Ele disse que vai trabalhar até as 23h45 da noite do dia 31 de dezembro para garantir investimentos e crédito no próximo trimestre. "Há mais medidas ainda neste ano ou no decorrer do ano que vem. Mas, não vou adiantar porque medidas econômicas não se antecipam. A economia pára à espera de medidas", disse.

O presidente avaliou que o governo está dando mais atenção a quatro setores da economia: construção civil, agricultura, setor automobilístico e pequenas e médias empresas.

Os jornalistas convidados a participar da entrevista do presidente aceitaram pedido do Planalto de não gravar ou fazer anotações durante a conversa que demorou uma hora e vinte minutos. Ao final do café da manhã, Lula gravou uma mensagem de Natal e respondeu a algumas perguntas para repórteres de rádio e TV. 

Leia tudo sobre: lula

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG